Ouvir Baixar Podcast
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/02 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/02 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/02 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/02 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/02 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/02 15h06 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Papa receberá mais alta autoridade muçulmana no Vaticano

media Encontro entre o papa e o sheik Ahmed Mohamed el-Tayeb deve tratar especialmente sobre minorias religiosas. REUTERS/Stefano Rellandini

O papa Francisco vai receber na próxima segunda-feira (23) o imã da mesquita de al-Azhar do Cairo, Egito. O Sheikh Ahmed Mohamed el-Tayeb é considerado a mais alta autoridade do islamismo sunita.

Este será o primeiro encontro da história entre um papa e um imã da mesquita de al-Azhar e deve marcar uma nova etapa de reconciliação depois de declarações controversas do papa Bento XVI que, em 2006, fez um discurso na Alemanha ligando a religião islâmica e a violência.

As relações foram completamente interrompidas em 2011, quando a maior universidade do Cairo reagiu enfaticamente ao posicionamento depois de um ataque mortal contra uma igreja ortodoxa em Alexandria. O diálogo foi retomado gradualmente após a chegada de Francisco, com o envio de emissários de ambos os lados.

Minorias religiosas estarão em pauta

Em março de 2014, um representante islâmico, Mahmoud Azab, participou no Vaticano do lançamento de uma rede de luta contra a escravidão moderna e tráfico de seres humanos. "O diálogo nunca foi cortado, ele foi apenas suspenso", assegurou Azab na época. A ideia "não é de falar com o Vaticano só por falar. Precisamos de uma pauta precisa”, acrescentou.

A agenda da reunião de segunda-feira não foi divulgada, mas é provável que o papa aborde a questão das minorias religiosas, especialmente cristãos nos países sunitas do Oriente Médio.

O Egito abriga a maior comunidade cristã na região: os coptas, a maioria ortodoxa, representam cerca de 10% dos 86 milhões de egípcios e muitas vezes são vítimas de discriminação e até violência, mas a um nível bem menor àquele sofrido pelos cristãos no Iraque ou na Síria.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.