Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Um dos pilotos russos de caça abatido foi resgatado com vida na Síria

media O Avião abatido na fronteira turco-síria é um Sukhoi Su-24. REUTERS/Shamil Zhumatov/Files

Um dos dois pilotos do caça russo abatido pela Turquia já voltou à sua base na Síria, após ter sido resgatado por rebeldes sírios. Em comunicado divulgado nesta quarta-feira (25), o ministério russo da Defesa informou que o resgate aconteceu depois de uma operação de salvamento.

Na terça-feira, várias informações circularam sobre os pilotos. Eles conseguiram se ejetar da aeronave e caíram em território sírio, na fronteira com a Turquia, onde atuam rebeldes turcomenos que lutam contra o regime de Bashar al-Assad.

Ao menos um dos pilotos teria sido capturado pelos rebeldes. Imagens de vídeo divulgadas pelo porta-voz dos rebeldes mostraram o corpo do piloto no chão, já morto, cercado por um grupo de militantes.

O presidente russo, Vladimir Putin, ameaça a Turquia de represálias após o incidente. Moscou desmente que o caça tenha violado o espaço aéreo turco, como garante Ancara.

Na manhã desta quarta-feira, o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, informou que importantes projetos russos-turcos podem ser cancelados.

10 mensagens de alerta

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse nesta quarta-feira querer evitar uma "escalada" de tensão com a Moscou. Ele justificou que os turcos ignoravam a nacionalidade do caça quando houve o ataque e que a aeronave teria ignorado 10 mensagens de alerta em um período de cinco minutos para deixar o espaço aéreo turco.

Erdogan, que fez as declarações durante um fórum de países muçulmanos reunidos em Istambul, criticou mais uma vez a intervenção militar russa na Síria em apoio ao líder Bashar Al-Assad. Ele defende a saída de Assad do poder para uma transição política no país.

Em novo sinal de querer apaziguar as relações entre Ancara e Moscou, o primeiro-ministro turco Ahmet Davotuglu declarou que seu país não tinha a intenção de agravar as tensões com a Rússia, um "país amigo e vizinho". "Nós não temos intenção de colocar em risco nossas relações com a federação russa", disse Davutoglu durante um discurso para os deputados do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP).

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.