Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Cerca de 20% dos universitários franceses vivem abaixo da linha da pobreza, diz estudo

media Entrada da Universidade Sorbonne Nouvelle Paris III Wikipédia

É o que mostra um relatório anual publicado pela União Nacional dos universitários no final de agosto. A conclusão é o que o custo de vida dos estudantes subiu principalmente entre os anos de 2009 e 2012.

Cada vez mais jovens vivem em situação precária no país. É o caso de 20% dos universitários, que vivem com menos de 592 euros por mês, o equivalente a R$ 2208. O valor pode parecer elevado, mas não é suficiente para pagar um aluguel na região parisiense.

O documento também mostra que 23% dos estudantes revelaram ter dificuldades financeiras. Apesar desse contexto de crise, o governo francês pretende reduzir as ajudas públicas, o que deve complicar ainda mais a situação dos alunos.

Segundo o estudo, em 2015, 36,3% dos universitários recebiam uma ajuda financeira direta do governo. Com as novas medidas, esse número deve diminuir, já que cada vez menos jovens terão direito às bolsas, apesar da diminuição do poder aquisitivo, que é geral entre os estudantes.

Sem dinheiro para ir ao médico

O resultado é que um terço dos universitários, por exemplo, deixou de ir ao médico. A precariedade também incita 46% deles a trabalhar durante o ano todo para poder se sustentar. Para 18% dos jovens, essa dupla jornada atrapalha diretamente os estudos.

Uma outra pesquisa do Insee, Instituto de Estatísticas francês, revela entretanto que eles teriam mais chances de obter um diploma tendo mais tempo para se dedicar ao estudos, mas para 88% deles, essa experiência é indispensável para a independência financeira dos pais.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.