Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

ONU teme “colapso total” do Iêmen, alvo de bombardeios sauditas

media Destroços de casas que foram atingidas por um bombardeio perto do aeroporto de Sanaa, capital do Iêmen, nesta terça-feira (31). REUTERS/Khaled Abdullah

O Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, declarou nessa terça-feira (31) temer um “colapso total” do Iêmen. Posições das milícias xiitas huthis no país são alvo há seis dias de bombardeios de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita. O ataque por engano ontem (30) de um campo de refugiados no noroeste do Iêmen, que deixou 40 mortos, chocou a comunidade internacional.

O chefe do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos avalia que a situação no Iêmem é “extremamente alarmante”. Nos últimos quatro dias, dezenas de civis foram mortos e o “país parece estar à beira do colapso total”, escreveu Zeid Ra’ad Al Hussein em comunicado divulgado hoje.

Segundo o Alto Comissariado, desde 27 de março ao menos 93 civis morreram e 364 ficaram feridos na capital Sanaa e em quatro outras cidades iemenitas. A violência em várias regiões do país também provoca o êxodo de centenas pessoas.

Sexto dia de bombardeios

A coalizão formada por dez países árabes e liderada pela Arábia Saudita bombardeia pelo sexto dia consecutivo no Iêmen. Os ataques desta manhã contra Sanaa foram os mais violentos dos últimos dias e visavam posições de militares que se aliaram às milícias xiitas huthis.

Ontem, o campo de refugiados de Al-Mazrak foi atingido por engano pelos aviões da coalizão, no noroeste do país. Ao menos 40 pessoas morreram e 200 ficaram feridas. O ataque chocou o Alto Comissariado da ONU.

Além da ofensiva aérea, navios de guerra egípcios entraram em ação para proteger a cidade de Aden, no sul do país, onde o aeroporto internacional caiu nas mãos dos rebeldes. A Arábia Saudita denuncia o apoio do Irã às milícias xiitas do Iêmen. Teerã previne que este “ataque saudita coloca em risco todo o Oriente Médio” e pede a suspensão imediata das operações militares.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.