Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Marine Le Pen tenta atrair eleitores de Mélenchon com "propostas comuns"

media Propostas da esquerda radical e da extrema-direita estão lado a lado FN

Tentando seduzir o eleitorado da extrema-esquerda, depois da derrota no primeiro turno de Jean-Luc Mélenchon, líder do partido A França Insubmissa, a extrema-direita Frente Nacional postou um cartaz com 16 pontos dos programas dos dois candidatos, lado a lado. O jornal Le Monde analisou as "semelhanças" e constatou que as propostas não correspondem em 12 dos 16 casos.

"O futuro em comum, também é com Marine"

Esse é o título do documento que a Frente Nacional postou nas redes sociais no domingo (23). Do lado esquerdo, a foto de Jean-Luc Mélenchon sobre uma coluna com 16 propostas do seu programa. Do lado esquerdo, a foto de Marine Le Pen e as mesmas propostas. No final, abrangendo todo o espaço, o convite: "Insubmissos, não se enganem de combate, não votem em Macron", com um traço riscando o nome do candidato do movimento Em Marcha!

O "convite" foi compartilhado milhares de vezes nas redes sociais, em diversas contas de militantes e responsáveis da Frente Nacional, assim como nas páginas Facebook da extrema-direita. Somente em uma delas, "O breviário dos patriotas", houve mais de 5.000 compartilhamentos, em menos de 24 horas.

A própria candidata lançou um apelo aos eleitores da esquerda radical: "Quero dizer aos eleitores de Mélenchon: vocês pensam, seriamente, em votar para Macron?"

Le Monde: Das 16 propostas, 12 não correspondem

Impressionado com a iniciativa ousada da candidata e com o interesse gerado pelo "convite", o jornal francês Le Monde analisou detalhadamente as propostas mencionadas, constatando que as posições, colocadas lado a lado, não são tão próximas como a Frente Nacional pretende demonstrar. "As convergências são exageradas, ou melhor, enganosas, em 12 das 16 propostas", escreve o diário.

Os pontos analisados por Le Monde:

1 - Abandonar os tratados europeus: as duas estratégias são diferentes. Marine Le Pen quer negociar com os parceiros europeus e fazer um referendo tipo "Brexit", já chamado de "Francexit" . Mélenchon defende outra linha, permanecendo na Europa mas saindo de tratados europeus por causa das regras econômicas.

2 - Sair da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte): enquanto Mélenchon defende a saída da OTAN, fazendo da França um país não-alinhado na cena internacional, Marine le Pen não tem nenhuma proposta sobre o assunto.

3 - Sair do Espaço Schengen: esta é a proposta da extrema-direita. Mélenchon é contra.

4 - Sair dos acordos de livre-comércio: os dois estão de acordo.

5 - Protecionismo: ambos têm estratégias diferentes, mesmo se partilham uma certa oposição.

6 - Referendo de iniciativa popular: os programas dos dois, assim como de outros três candidatos, apresentam este ponto. Mas, para Marine Le Pen, seria possível convocar um referendo sobre qualquer assunto, desde que tenham sido recolhidas 500.000 assinaturas de cidadãos. Mélenchon quer ir além, dando aos cidadãos a possibilidade deles mesmos proporem leis.

Le Monde observa que essa proposta comum de referendo não oculta a diferença entre os dois projetos. A VIª República pensada por Jean-Luc Mélenchon reforça o poder do Parlamento, enquanto que Le Pen não pretende reformar o fundo das instituições nem enfraquecer os poderes presidenciais.

7 - Votação proporcional: sistema de votação para dar a cada partido político um número de cadeiras proporcional ao total dos votos obtidos em todo o país. O sistema eleitoral proporcional se opõe ao sistema eleitoral majoritário. Se Le Pen e Mélenchon concordam com a ideia, o método de ambos é totalmente diferente.

8 - Revogar a lei do trabalho: os dois compartilham a proposta, mas não têm a mesma concepção do direito trabalhista nem os mesmos projetos. E Le Pen é contra a ideia de Mélenchon de aumentar em 180 euros ( cerca de 620 reais) o salário mínimo, calculado atualmente em 1.480 euros (cerca de 5.110 reais).

9 - Aposentadoria aos 60 anos depois de quarenta anos de contribuição: os dois estão de acordo.

10 - Encorajar a proximidade, reorganizando as redes de produção local: Marine Le Pen é bem menos clara neste ponto do que Jean-Luc Mélenchon e seu "planejamento ecológico" para privilegiar a proximidade e os produtores locais.

11 - Proibir o estatuto de prestador de serviço de outro país: Marine Le Pen pede uma taxa adicional para a contratação de assalariados estrangeiros, enquanto que Mélenchon pede a aplicação da legislação nacional, incluindo as contribuições patronais e salariais.

12 - Igualdade salarial entre mulheres e homens: Marine Le Pen menciona um plano nacional para a igualdade salarial, sem detalhes e sem explicações sobre os meios. Já Jean-Luc Mélenchon dedica um livreto ao assunto em sua campanha com diversas iniciativas, entre elas, um corpo de inspetoras e inspetores para investigar as empresas e um polo judiciário para lutar contra as discriminações.

13 - 35 horas semanais de trabalho: A candidata preserva as 35 horas, autorizando que se trabalhe até 37 ou 39 horas, encorajando as horas extras. Mélenchon defende a passagem para as 32 horas, aumentando assim o valor das horas extras em 25% para as primeiras quatro horas, e 50% acima disso.

14 - Redução de impostos: medidas bem diferentes de cada partido. Marine Le Pen quer reduzir 10% do imposto de renda para as camadas mais modestas. Já Mélenchon prega uma reforma fiscal criando 14 níveis de contribuintes.

15 - Medidas sobre horas extras: Mélenchon defende a passagem para as 32 horas, aumentando assim o valor das horas extras em 25% para as primeiras quatro horas, e 50% acima disso. Le Pen se contenta em manter a taxa atual de 25% a 50% após as primeiras oito horas de trabalho.

16 - Ajuda às aposentadorias mais modestas: propostas bem próximas, com leves diferenças. Marine Le Pen promete revalorizar o salário mínimo para a velhice, sem definir as proporções, além de instaurar um bônus de poder aquisitivo, retirando também o pagamento de imposto sobre a aposentadoria para os pais de família numerosa. Mélenchon tem uma visão próxima, porém, mais precisa: revalorizar as pensões ao nível do salário mínimo e colocar o salário mínimo para a velhice no mesmo nível que o índice de pobreza.

A principal diferença em relação ao ponto 16 é que Jean-Luc Mélenchon não estabelece diferença entre franceses e estrangeiros, enquanto que Marine Le Pen condiciona a ajuda à nacionalidade francesa ou a vinte anos de residência na França.

Qual é a conclusão do jornal Le Monde?

Depois de comparar ponto por ponto, o diário francês constata que a lista feita pela Frente Nacional para atrair o eleitorado da esquerda radical confronta diversos temas de primeira importância. As "semelhanças", exaltadas no documento são exageradas, e muitas vezes, enganosas em 12 dos 16 pontos.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.