Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

Cidade no Quênia fica coberta de lama após rompimento de barragem

media Foto de abril de 2018 mostra inundação no Quênia ANDREW KASUKU / AFP

Pelo menos 41 pessoas, incluindo 20 crianças, foram mortas após o rompimento de uma represa no centro do Quênia. Os sobreviventes descrevem as águas cheias de lama que cobriram suas casas de “inferno na terra” – uma tragédia que lembra o incidente da cidade de Mariana, em Minas Gerais, 2015.

Na noite de ontem (9), por volta das 21h, a barragem privada Patel, utilizada para irrigação, rompeu e inundou a cidade rural de Solai, afetando cerca de 500 famílias e destruindo casas e pontes. Durante toda a noite, os serviços de socorro e a Cruz Vermelha trabalharam para oferecer abrigo às vítimas.

“É uma catástrofe, porque a maior parte dos habitantes estava dormindo quando a tragédia ocorreu”, declarou Gideon Kibunjah, autoridade policial da região.

“Eu estava jantando com meus pais e meu irmão mais novo. Não tenho ideia de onde eles estão agora. Fui levada pelas águas, mas, por sorte, pude me segurar a uma árvore e ficar lá até o nível descer”, disse Ngugi Njoroge, em uma maca do hospital. “Só estou viva pela graça de Deus.”

Cobertos de lama

As fotos da tragédia mostram as equipes de socorro no meio dos escombros das pequenas habitações feitas de madeira. “Encontramos 11 corpos cobertos de lama numa plantação de café”, afirmou um policial.

“São certamente pessoas que tentaram escapar mas que não conseguiram por causa da força das águas. A maioria são crianças e pessoas idosas, que não puderam correr rápido o suficiente”, reiterou.

O Quênia sai de um período agudo de seca e, desde março, sofre com o outro lado da moeda: chuvas intensas têm causado fortes inundações que já causaram a morte de 170 pessoas.

O país tem duas temporadas de chuva anuais: uma curta, de outubro a dezembro, e outra longa, de março a junho. A Cruz Vermelha já fez um pedido de doações de € 4 milhões para ajudar a nação.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.