Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/04 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/04 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/04 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/04 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Nicarágua assiste à retomada do diálogo entre governo e oposição

media Pouco antes do início do encontro, o governo da Nicarágua libertou dezenas de presos políticos. Um gesto de boa vontade de Daniel Ortega (foto)? REUTERS/Jorge Cabrera

Oito meses após o fracasso das negociações iniciais, o diálogo foi retomado na quarta-feira (27) entre o governo de Daniel Ortega e a Aliança Cívica para a Justiça e Democracia, na presença do Arcebispo de Manágua e do Núncio Apostólico, convidados como observadores.

Patrick John Buffe, correspondente da RFI na Nicarágua

Uma primeira reunião entre governo e oposição foi realizada a portas fechadas na quarta-feira para tentar encontrar uma solução para a crise social e política que, desde abril de 2018, deixou 350 mortos, mais de 700 manifestantes presos e milhares de exilados.

Durante o encontro, o objetivo de funcionários do governo e da Aliança Cívica foi definir uma pauta que estabeleça os termos dessas novas negociações, consideradas como uma “última chance” de paz. No entanto, o presidente Ortega não compareceu pessoalmente ao reatamento do diálogo, mesmo tendo sido convocado.

Libertação de presos políticos

Pouco antes do início do encontro, o governo da Nicarágua libertou dezenas de presos políticos. Assim, Ortega parecia responder, em parte, às demandas da oposição, para quem a liberação dessas pessoas era uma pré-condição antes da retomada das negociações. Um gesto de boa vontade?

Alguns argumentam que, ao relançar as negociações, o presidente está tentando ganhar tempo, tendo em vista que está ainda mais isolado em nível internacional e que a economia da Nicarágua se encontra em queda livre.

Mas não está claro como Ortega, que demonstra muito apego ao poder, poderia aceitar as condições impostas pela oposição, ou seja, a libertação de todos os presos políticos, o fim da repressão e, especialmente, a organização de eleições antecipadas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.