Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 17/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 17/11 14h00 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 17/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • Estilista Azzedine Alaïa morre aos 77 anos em Paris

ATD Quarto Mundo: Extrema pobreza não é apenas uma questão de poder aquisitivo

ATD Quarto Mundo: Extrema pobreza não é apenas uma questão de poder aquisitivo
 
Eduardo Simas é membro no Brasil do movimento ATD Quarto Mundo. Divulgação

Desde que foi criado, há 60 anos, o movimento ATD Quarto Mundo luta contra a miséria no planeta. A entidade, que existe em mais de 100 países, entre eles o Brasil, foi uma das incentivadoras da criação do Dia Mundial da Erradicação da Pobreza, data celebrada em 17 de outubro e reconhecida pelas Nações Unidas. Mas para a organização, a pobreza não deve ser avaliada apenas do ponto de vista econômico.

Fundado na França pelo padre Joseph Wresinski, o movimento ATD atua no Brasil há dez anos, com atividades principalmente no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Na pequena cidade mineira de Mirantão, a entidade trabalha a questão da integração no meio rural, sempre valorizando a experiência dos moradores que vivem em situação de miséria.

“Descobrimos o que é a pobreza no campo e, ao mesmo tempo, descobrimos o que é a riqueza de conhecimento e de estratégias de sobrevivência que existem e que a gente precisa aprender para que se ter políticas eficazes na luta contra a extrema pobreza”, explica Eduardo Simas, um dos membros da ATD Quarto Mundo no Brasil.

Já no Rio de Janeiro, o movimento atua em Petrópolis, onde organiza nesse 17 de outubro uma jornada cultural. Na região serrana, o ATD começou com as bibliotecas de rua. Levamos os livros para a rua, sentamos com as crianças, contamos histórias, escutamos”, relata Simas, que celebra os frutos da iniciativa. “Já temos adolescentes que começaram com 7 ou 6 anos e hoje estão contando histórias para outras crianças”.

O membro do movimento explica que a educação e o acesso ao mundo das artes é um dos pontos essencial na ação do grupo. “A extrema pobreza precisa ser encarada de uma forma multidimensional, além da questão estritamente econômica e de poder aquisitivo. Não adianta simplesmente poder comprar certos bens ou certos serviços se não se tem acesso a uma educação de qualidade que vá fortalecer a dignidade humana”, analisa. Além disso, “a pessoa que, economicamente, passa da linha da pobreza para a linha de extrema pobreza, continua em uma situação de grande vulnerabilidade se os direitos não estão garantidos”, conclui.

 


Sobre o mesmo assunto

  • Desenvolvimento

    Fome aumenta e volta a assombrar o mundo

    Saiba mais

  • França/pobreza

    Cerca de 20% dos universitários franceses vivem abaixo da linha da pobreza, diz estudo

    Saiba mais

  • Brasil-África

    Pobreza dificulta luta contra terrorismo, diz embaixadora do Brasil no Burkina Faso

    Saiba mais

  • Argentina

    Mais de 5 milhões de crianças vivem na pobreza na Argentina, alerta Unicef

    Saiba mais

  • Saúde

    Pesquisa francesa mostra que existe câncer "de pobre" e "de rico"

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.