Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/02 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/02 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/02 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/02 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/02 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/02 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Caravanas de migrantes da América Central seguem em direção aos Estados Unidos

media O garotinho Stephen, de 4 anos, dorme nos ombros do pai, na caravana de milhares que parte da América Central em direção aos Estados Unidos, em 2 de novembro de 2018. REUTERS/Hannah McKay

A caravana de migrantes, em sua maioria hondurenhos, que caminham em direção aos Estados Unidos, se dirige neste sábado (3) para a cidade de Isla, no estado mexicano de Veracruz, depois que as autoridades locais se recusaram a transportá-los até a Cidade do México.

Os migrantes, que saíram na manhã neste sábado (3) da cidade de Sayula, devem transpor cerca de 90 km, uma viagem que levaria pouco mais de uma hora de carro, mas que dura cerca de 13 horas a pé.

Na sexta-feira (2), o governo do estado mexicano de Veracruz se ofereceu para transportá-los para a Cidade do México, onde os migrantes pretendem pedir documentos que lhes permitam viajar para a fronteira com os Estados Unidos. Mas, mais tarde, Miguel Ángel Yunes, governador de Veracruz, disse que seria melhor se os migrantes chegassem primeiro em uma cidade maior, por razões de segurança.

"Uma cidade grande, onde podemos ter instalações adequadas que lhes ofereçam acima de tudo segurança", disse o governador de Veracruz, estado onde o crime organizado opera. Enquanto isso, uma segunda caravana de migrantes, que entrou na Guatemala na segunda-feira, continua a caminhada no estado mexicano de Chiapas, na fronteira com a Guatemala.

Caravanas devem se encontrar na Cidade do México

De acordo com Irineo Mujica, presidente da ONG Pueblos sin Fronteras, que acompanha os migrantes, as duas caravanas, separadas por 400 km, devem se reunir na Cidade do México, embora não haja data marcada para o encontro.

As caravanas de hondurenhos provocaram a ira do presidente Donald Trump, que anunciou que poderia posicionar até 15.000 soldados na fronteira entre os Estados Unidos e o México para tentar detê-los.

Segundo ele, mais de 7.000 soldados serão pré-posicionados em estados fronteiriços norte-americanos com o México - Califórnia, Arizona e Texas-, neste domingo (4), a apenas dois dias antes das eleições de meio de mandato de 6 de novembro, nos Estados Unidos. Donald Trump colocou a imigração como bandeira no centro da campanha republicana, nesta rodada de eleições norte-americanas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.