Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Manifestantes invadem e incendeiam Congresso no Paraguai

media O presidente do Paraguai, Horacio Cartes REUTERS/Jorge Adorno

Manifestantes invadiram e incendiaram o Congresso do Paraguai nesta sexta-feira (31), em Assunção, depois do Senado, controlado por partidários do presidente Horacio Cartes, aprovar uma emenda que prevê a reeleição presidencial.

Centenas de opositores entraram no prédio destruindo barreiras, portões e janelas. Eles invadiram e saquearam gabinetes, ateando fogo em alguns setores do prédio, segundo imagens divulgadas pela TV local.

Os confrontos deixaram ao menos 30 feridos. Antes da invasão do Congresso, a polícia de choque havia enfrentado os manifestantes com balas de borracha e golpes de cassetete, deixando pelo menos 12 feridos, incluindo o presidente do Senado, Roberto Acevedo, o presidente do Partido Liberal, Efrain Alegre, e o deputado Edgar Ortíz, também liberal, que recebeu um tiro de bala de borracha no rosto.

Votação surpreende oposição

No total, 25 dos 45 senadores aprovaram a emenda que institui a reeleição. A votação pegou a oposição de surpresa. Os senadores não votaram no plenário do Senado, e sim em um gabinete do Congresso, para "fugir" da resistência de legisladores da oposição contra a medida, que permitirá a reeleição de Cartes.

A emenda foi apoiada por opositores ligados ao ex-presidente de esquerda Fernando Lugo, mas o restante da oposição denunciou a medida como um "golpe parlamentar".

(Com informações da AFP Brasil)
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.