Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 21/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 21/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 21/10 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 21/10 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 21/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 21/10 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 20/10 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Almódovar será o presidente do Festival de Cannes 2017

media Ícone do cinema espanhol, o diretor Pedro Almodóvar presidirá o júri do Festival de Cannes 2017. REUTERS/Regis Duvignau/Files

O cineasta Pedro Almodóvar será o primeiro espanhol a presidir o júri do Festival de Cannes. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (31) pelos organizadores do evento. Almodóvar prometeu se entregar de corpo e alma à tarefa. A 70ª edição do festival de Cannes acontecerá entre 17 e 28 de maio.

A relação do cineasta espanhol Pedro Almodóvar com o Festival de Cannes é antiga. Ele vai presidir o evento que já selecionou vários de seus filmes, mas nunca o premiou com a Palma de Ouro. Ícone do cinema espanhol, diretor de filmes como "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos" e "Tudo Sobre Minha Mãe", Almodóvar já foi membro do júri do festival em 1992, que na ocasião teve como presidente o ator Gérard Depardieu.

"Me sinto agradecido, honrado e um pouco assustado", reagiu o cineasta em um comunicado divulgado nesta terça-feira pela organização do festival. O diretor e roteirista, de 67 anos, afirma no texto estar "consciente da responsabilidade que representa ser o presidente do júri" e que espera "estar à altura" do evento. "Só posso dizer que me entregarei de corpo e alma à tarefa", prometeu.

Uma relação de encontros e desecontros

A relação entre Almodóvar e Cannes tem quase 20 anos e está marcada por encontros e desencontros. Ao todo, cinco de seus filmes foram indicados à Palma de Ouro: "Julieta", "Tudo Sobre Minha Mãe", "Volver", "Abraços Partidos" e "A Pele que Habito".

Almodóvar não levou o prêmio máximo do importante festival de cinema francês, mas foi agraciado com outras recompensas. Ele recebeu o prêmio de melhor diretor por "Tudo Sobre Minha Mãe" em 1999 e, sete anos depois, o de melhor roteiro por "Volver", que também foi premiado pela interpretação feminina do elenco.

"Má Educação" abriu o Festival em 2004, fora de competição. E o diretor apareceu no cartaz oficial da 60ª edição.

"Uma longa fidelidade une Pedro Almodóvar ao Festival", destacaram no comunicado Pierre Lescure, presidente do evento, e Thierry Frémaux, diretor-geral. "O Festival de Cannes homenageia um grande autor internacional e uma Espanha moderna e livre", afirmaram.

35 anos de carreira

Em 35 anos de carreira e mais de 20 filmes, Almodóvar construiu um universo inconfundível, que revela o lado mais vulnerável do ser humano, com suas angústias, paixões e segredos. As figuras femininas são as grandes protagonistas de sua filmografia. Vários atores têm seus nomes ligados ao diretor: Penélope Cruz, Marisa Paredes, Antonio Banderas, Rossy de Palma, Javier Bardem, Javier Cámara, Carmen Maura e Victoria Abril, entre outros.

Aclamado em todo o mundo, o cineasta espanhol já venceu o Oscar em duas ocasiões: melhor filme estrangeiro por "Tudo Sobre Minha Mãe" em 2000 e roteiro original por "Fale com Ela", três anos depois.

A seleção oficial do Festival de Cannes e a composição do júri serão anunciados em abril.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.