Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Trump critica recontagem de votos e ameaça processar Hillary

media Donald Trump e seus assessores intensificaram as críticas, neste domingo (27), à equipe de Hillary Clinton por se unir à recontagem de votos em Wisconsin.. REUTERS/Mike Segar TPX IMAGES OF THE DAY

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, intensificou no domingo (27) as críticas à recontagem de votos em Wisconsin, ao mesmo tempo que citou uma "séria fraude" eleitoral em outros estados, onde "milhões de pessoas" votaram ilegalmente.

A recontagem em Wisconsin, que ameaça reavivar o debate sobre a legitimidade da vitória do republicano porque sua rival democrata Hillary Clinton recebeu mais votos a nível nacional, gerou polêmica entre os partidários de Trump.

Em uma mensagem no Twitter, ele lembrou que não apenas conquistou a maioria do Colégio Eleitoral, como também venceu no voto popular. "Além de uma vitória esmagadora no Colégio Eleitoral, ganhei o voto popular, se não contarmos milhões de pessoas que votaram de maneira ilegal", tuitou.

Ao retornar a Nova York no domingo à noite, depois de passar o feriado de Ação de Graças em seu resort Mar-a-Lago na Flórida com a família, Trump afirmou novamente no Twitter que uma fraude eleitoral aconteceu em vários estados."Séria fraude eleitoral na Virginia, New Hampshire e Califórnia - por que então a mídia não está informando sobre isto? Sério viés - grande problema!", escreveu.

Ameaça a Clinton

A ex-diretora de campanha e assessora de Trump Kellyanne Conway insinuou que, se a equipe de Hillary pressionar para fazer a recontagem, Trump poderá reconsiderar sua promessa de não processá-la por usar um servidor privado de e-mails quando era secretária de Estado.

Reince Priebus, futuro chefe de gabinete do magnata na Casa Branca, reforçou as declarações de Kellyanne. Segundo ele, embora o presidente eleito não esteja "buscando métodos e formas para perseguir e processar Hillary Clinton", poderá estar "aberto a ouvir", se aparecerem novos indícios contra ela.

Bernie Sanders defende recontagem

A equipe de Hillary Clinton ainda não reagiu, mas o senador Bernie Sanders, derrotado pela ex-secretária nas primárias do partido, defendeu a recontagem. "O Partido Verde tem o direito legal de fazer isso", disse ele à CNN. "Há recontagens em praticamente toda eleição. Ninguém espera por uma mudança profunda", completou.

A recontagem de votos foi pedida pela candidata do Partido Verde, Jill Stein. A campanha de Hillary Clinton informou no sábado que se uniria à recontagem, apesar de não ter encontrado irregularidades no resultado geral da eleição presidencial.

(Com informações da AFP)
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.