Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Petroleiro iraniano é atingido por duas explosões no Mar Vermelho

media O petroleiro iraniano Sabiti no Mar Vermelho. National Iranian Oil Tanker Company via WANA (West Asia News Age

Um petroleiro iraniano foi atingido nesta sexta-feira (11) por dois supostos disparos de mísseis no Mar Vermelho, a cem quilômetros de um porto saudita. Segundo a televisão estatal do Irã, é possível que o incidente tenha sido causado por "um ataque terrorista".

A Companhia Nacional de Petroleiros do Irã (NITC), operadora da frota iraniana, afirmou que o casco do petroleiro Sabiti foi atingido por duas explosões. "Todos os tripulantes passam bem", acrescentou a NITC, ressaltando que as pessoas a bordo tentavam reparar os danos.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores do Irã, o suposto ataque foi lançado a partir de um local próximo ao corredor marítimo por onde o petroleiro passava, no leste do Mar Vermelho. No entanto, ao contrário do que afirmou a televisão estatal, não houve incêndio na embarcação.

Nas fotografias exibidas, o convés do navio não parece danificado. No entanto, as explosões causaram um vazamento de petróleo no Mar Vermelho, segundo a agência de notícias Isna.

"A responsabilidade desse incidente e a grave poluição que ele causou são os autores desse ato irresponsável", ressaltou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Abbas Mousavi, acrescentando que uma investigação está em andamento.

Segundo o site TankerTrackers, que rastreia os movimentos dos petroleiros, o Sabiti transporta um milhão de barris de petróleo.

Tensão no Golfo

O incidente desta sexta-feira é o mais recente de uma longa série na região, incluindo os ataques a infraestruturas de petróleo na Arábia Saudita, apreensões de navios no Golfo e a destruição de um drone americano por Teerã.

Em setembro, a Arábia Saudita e os Estados Unidos, depois a Alemanha, o Reino Unido e a França acusaram o Irã de ser responsável pelos ataques aéreos a dois locais estratégicos na produção de petróleo da Arábia Saudita, o que fez subir brevemente os preços do petróleo em 20%.

Teerã negou qualquer envolvimento nos ataques reivindicados pelos rebeldes huthis do Iêmen, apoiados pelo Irã e combatidos por uma coalizão militar liderada por Riad.

Tensões com os EUA

Os ataques de setembro provocaram temores de um confronto militar com o Irã, depois que Washington e Teerã chegaram perto do conflito direto em junho. Na ocasião, o presidente americano, Donald Trump, disse que cancelou no último minuto ataques contra alvos iranianos depois que Teerã abateu um drone americano.

O suposto ataque desta sexta-feira também acontece depois da apreensão de várias embarcações pelo Irã nos últimos meses na região do Golfo e a apreensão em julho em Gibraltar, no extremo sul da Espanha, de um petroleiro iraniano, liberado em 15 de agosto.

O Irã denuncia a presença de forças estrangeiras na região e ameaçou bloquear o Estreito de Ormuz - ponto de passagem estratégico para o comércio mundial de petróleo - em caso de ação militar americana.

Neste contexto, Washington formou uma coalizão militar marítima para proteger a navegação, acompanhado por Riad e Abu Dhabi. O Irã, por sua vez, apresentou um projeto regional para garantir a "segurança energética e liberdade de navegação" nas águas do Golfo.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.