Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Alemanha declara guerra aos carros SUVs por poluírem e ocuparem muito espaço em estacionamentos

Alemanha declara guerra aos carros SUVs por poluírem e ocuparem muito espaço em estacionamentos
 
Uma ativista do Greenpeace exibe um cartaz com a mensagem "Assassinos do Clima", no Salão do Automóvel de Frankfurt, em 12 de setembro de 2019. Tobias SCHWARZ / AFP

Criticados por consumirem muito combustível e poluírem mais do que o normal, os carros SUVs estão na mira dos ambientalistas alemães. Propostas de proibição de circulação nos centros das cidades, sobretaxas e até ataques de ecologistas reforçam a aversão crescente a esse tipo de veículo, no país onde a indústria automobilística é vital para a economia.

Marcio Damasceno, correspondente da RFI em Berlim

Nas últimas semanas, a Alemanha tem sido palco de um grande debate sobre os veículos SUVs, que estão muito na moda hoje em dia, não só na Alemanha como no Brasil. Eles são mais altos, dão uma certa sensação de segurança ao motorista, costumam ter tração nas quatro rodas, mas também consomem mais combustível e poluem mais.

Eles foram alvo de protestos no fim de semana passado no Salão do Automóvel de Frankfurt. Políticos, principalmente do Partido Verde, chegaram a propor que esses modelos mais encorpados sejam impedidos de circular nos centros das cidades alemãs, onde as ruas são estreitas e onde os espaços para estacionar são cada vez mais raros.

Há também a ideia de se sobretaxar esses carros, para torná-los ainda mais caros e reprimir a demanda, que vem crescendo bastante desde os anos 90. Eles já são os modelos mais vendidos, representando cerca de 30% de todos os carros vendidos na Alemanha.

Um aspecto curioso dessa "guerra contra os SUVs" é que a imprensa tem noticiado que em cidades como Hamburgo e Munique, dezenas de carros utilitários têm amanhecido com adesivos colados no para-brisas por ambientalistas anônimos, muitas vezes com xingamentos, mas também com apelos para que os motoristas comprem carros menores e menos poluentes.

Economia x meio ambiente

A indústria do automóvel é vital para a economia da Alemanha, que tem marcas mundialmente conhecidas, como Volkswagen, Audi, Porsche, BMW, Mercedes-Benz. Ao mesmo tempo, o meio ambiente é uma preocupação constante dos alemães, a ponto de a ecologia também ser uma paixão alemã.

Não é à toa que, às vésperas da Cúpula do Clima da ONU, que será realizada na semana que vem, mais de 500 manifestações em prol do meio ambiente ocorrem nesta sexta-feira (20) na Alemanha. Pela primeira vez as passeatas do movimento “Fridays for Future” (Sextas-feiras pelo Futuro), realizadas em todo o mundo, são convocadas não só por organizações juvenis, mas também por sindicatos e ONGs.

Mais de 200 organizações apoiam os atos em favor do clima no país. E algumas empresas até liberaram seus funcionários. Em Berlim, estão ocorendo atos de diversos bairros.

Ambicioso pacote de medidas

Uma motivação extra é que nesta sexta-feira o governo alemão apresenta um ambicioso pacote de medidas de proteção ao meio ambiente para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

O objetivo é alcançar o compromisso assumido pela Alemanha de reduzir até o ano de 2030 as emissões de CO2 em 55%. E, para isso, o governo apresenta um pacote de investimentos da ordem de mais de € 40 bilhões até 2023.

Entre as medidas previstas estão subsídios para produção de energia verde, além de incentivos para as áreas de transportes, habitação e investimentos em agricultura sustentável. Também se fala em proibir o aquecimento com diesel a partir de 2030.

Estão em discussão sobretaxação de viagens aéreas, redução de preços de viagens de trem e investimentos em infraestrutura de transportes públicos menos poluentes


Sobre o mesmo assunto

  • Volkswagen é a maior emissora de CO2 do setor automobilístico, afirma Greenpeace

    Saiba mais

  • Clima

    Falta de ação contra aquecimento global pode custar US$ 20 bi por ano em ajuda humanitária

    Saiba mais

  • França

    Cientistas franceses alertam sobre aquecimento global mais forte que o previsto

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.