Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Pela 5ª vez em duas semanas, Pyongyang lança mísseis contra manobras militares de EUA e Coreia do Sul

media O líder norte-coreano Kim Jong-Un observa o lançamento de um míssil, no dia 31 de julho de 2019. KCTV / AFP

A Coreia do Norte lançou dois projéteis neste sábado (10) sobre o Mar do Japão, anunciou a agência sul-coreana Yonhap. Os disparos acontecem no momento em que os Estados Unidos e Coreia do Sul realizam manobras militares conjuntas que enfurecem Pyongyang.

O novo lançamento foi realizado da cidade de Hamhung, no nordeste da Coreia do Norte, em direção ao Mar do Japão, destacou a Yonhap. O Exército sul-coreano afirmou que os projetéis são provavelmente mísseis balísticos de curto alcance. Eles percorreram 400 quilômetros antes de cair entre a Península da Coreia e o Japão.

O Exército sul-coreano diz acreditar que novos lançamentos devem acontecer devido à continuação dos exercícios militares entre Washington e Seul. "Estamos supervisionando a situação diante destes disparos adicionais", informou o Estado-Maior, citado pela agência Yonhap.

Até o momento, a Casa Branca não reagiu aos disparos deste sábado.

Quinto disparo em duas semanas

Esta é a quinta série de disparos por parte da Coreia do Norte em menos de duas semanas. Ela ocorre horas depois que o presidente americano, Donald Trump, afirmou ter recebido uma "carta excelente" do dirigente norte-coreano, Kim Jong-un, na qual apresentava os recentes lançamentos como uma represália aos exercícios militares anuais conjuntos entre a Coreia do Sul e Estados Unidos.

A Coreia do Norte considera as manobras como uma preparação para uma eventual invasão de seu território, além de vê-las como um obstáculo para a anunciada retomada das negociações com Washington sobre a desnuclearização do país.

Kim "não estava contente com os exercícios militares", afirmou Trump. "Eu também nunca gostei deles", acrescentou, insistindo em sua boa relação pessoal com Kim, com quem se reuniu em três ocasiões desde junho de 2018.

Trump recebeu a carta de Kim, após Pyongyang ter feito quatro testes de mísseis nas últimas duas semanas. O presidente americano minimizou esses experimentos e disse que pode se reunir novamente com o norte-coreano.

"Acho que teremos outra reunião. Enquanto isso, vou repetir. Não há testes nucleares. Os testes de mísseis foram todos de curto alcance. Não há testes de mísseis balísticos, nem mísseis de longo alcance".

Impasse sobre a desnuclearização

Trump e Kim se reuniram em três ocasiões, a última no final de junho deste ano, na zona desmilitarizada que separa as duas Coreias. Os dois se comprometeram a relançar as negociações de desarmamento nuclear, iniciadas depois de sua primeira reunião, há um ano, mas atualmente em um impasse.

Até o momento, não foi estabelecida uma data para uma nova reunião de negociadores, anunciada por Washington como "iminente".

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.