Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Manifestantes fazem protesto em aeroporto de Hong Kong para informar visitantes da China

media Em Hong Kong, manifestantes invadem o aeroporto para educar visitantes sobre os protestos contra Pequim REUTERS/Edgar Su

Centenas de manifestantes de Hong Kong, incluindo comissários de bordo, realizaram uma manifestação na sala de desembarque do aeroporto nesta sexta-feira (26), em uma tentativa de "educar" os visitantes sobre os protestos sem precedentes que atualmente agitam o centro financeiro internacional.

No salão de um dos aeroportos mais movimentados do mundo, os visitantes foram recebidos por manifestantes cantando slogans contra o governo, segurando cartazes e entregando panfletos.

 A manifestação é a mais recente tentativa de pressionar os líderes pró-Pequim de Hong Kong após sete semanas de protestos de massa, em grande parte pacíficas, seguidas de confrontos violentos, um desafio sem precedentes à autoridade de Pequim desde a entrega da cidade em 1997.

Os protestos foram desencadeados por um projeto de lei controverso que permitiria extradições para a China continental, mas eles evoluíram para um apelo por reformas democráticas mais amplas.

Visitantes chineses são o alvo

Os manifestantes visam principalmente visitantes da China continental, onde as notícias são controladas pelo Estado e fortemente censuradas. Os protestos foram descritos por Pequim como um plano violento, orquestrado por fundos estrangeiros para desestabilizar o governo central.

“É importante vir ao aeroporto e dizer aos estrangeiros sobre o que está acontecendo em Hong Kong”, declarou uma manifestante à AFP, acrescentando que é importante informar as pessoas na China. “Elas não têm ideia real do que se passa, acham que todos que protestam são baderneiros ou que pedem a independência de Hong Kong”, acrescentou.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.