Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Explosão que atingiu ônibus de turismo no Egito deixa 17 feridos

media O ataque aconteceu perto das pirâmides de Gizé, na perifeira do Cairo. REUTERS/Sayed Sheasha

Uma explosão contra um ônibus de turistas no distrito de Gizé, na região oeste do Cairo, fez 17 feridos leves neste domingo (19). As vítimas são turistas sul-africanos e egípcios.

A explosão ocorreu perto do Grande Museu Egípcio ainda em construção e não muito longe das pirâmides de Gizé. De acordo com a investigação preliminar, a bomba colocada ao lado de uma rua movimentada explodiu quando um ônibus turístico passou. A explosão quebrou as janelas laterais do ônibus que transportava 28 turistas sul-africanos, e atingiu vários veículos particulares egípcios.

Segundo fontes médicas, dos 17 feridos, 10 são egípcios. Apenas três pessoas ficaram no hospital para observação, segundo o correspondente da RFI no Cairo, Alexandre Buccianti.

Em um ataque semelhante em dezembro contra um ônibus com turistas do Vietnã, três deles foram mortos junto com o guia egípcio. O ataque não foi reivindicado e não teve impacto na indústria do turismo, que continuou a crescer.

No entanto, a explosão neste domingo vai forçar as autoridades a reforçar a segurança para a Copa Africana de Futebol, que começa no país no mês de  junho.

Ataques constantes

Desde da destituição do presidente Mohamed Morsi pelas Forças Armadas, em 2013, as forças de segurança têm combatido grupos extremistas bastante ativos, incluindo a organização Grupo Estado Islâmico, principalmente na península do Sinai, no nordeste do país.

Apesar das centenas de prisões e condenações de pessoas acusadas de terrorismo, os ataques continuam esporadicamente. Ataques visam as forças de segurança, mas também a minoria copta.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.