Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Piloto afirma que um raio provocou acidente com avião russo em Moscou

media Quarenta e uma pessoas morreram neste domingo (5) no pouso de emergência de um avião da companhia aérea russa Aeroflot, que se incendiou com 78 pessoas a bordo no aeroporto Moscou-Sheremetyevo. REUTERS/Nadezhda Polomoshnova

A Rússia dá sequência nesta segunda-feira (6) às investigações sobre a catastrófica aterrissagem do avião da companhia Aeroflot, que pegou fogo durante o pouso no domingo (5), no aeroporto de Moscou-Sheremetyevo, causando a morte de 41 pessoas. Piloto e sobreviventes dizem que a aeronave foi atingida por um raio.

Embora as autoridades ainda não tenham divulgado informações oficiais sobre o acidente envolvendo o Sukhoi Superjet 100, o piloto da aeronave atribuiu a causa da tragédia às duras condições climáticas.

"Por causa de um raio, perdemos o contato de rádio e passamos para o regime de pilotagem mínima, ou seja, sem um computador, como de costume, e em regime de emergência", explicou Denis Evdokimov, nas colunas ao tabloide russo Komsomolskaya Pravda.

"Conseguimos restabelecer o contato via frequência de emergência, mas ela estava curta e operava apenas de forma intermitente. Conseguimos dizer algumas palavras e depois o contato se perdeu", acrescentou.

Segundo Evdokimov, foi por causa do pouso violento que a aeronave pegou fogo. "A razão é certamente que os tanques estavam cheios", disse ele.

Sobreviventes quase desmaiaram de medo

As primeiras fontes relataram um incêndio a bordo, mas um vídeo publicado horas depois do acidente mostra a aeronave tocando o asfalto e saltando antes de pegar fogo. Sobreviventes também contaram ter visto o avião ser atingido por um raio e relataram o medo que sentiram.

"Tínhamos acabado de decolar quando o avião foi atingido por um raio. A aterrissagem foi complicada, quase desmaiamos de tanto medo. O avião quicou na pista e pegou fogo em solo", afirmou o passageiro Piotr Egorov à imprensa russa.

Após a aterrissagem, os passageiros começaram a ser evacuados pelos tobogãs da aeronave, enquanto o incêndio se espalhava rapidamente. Outros vídeos amadores mostraram passageiros correndo na pista para se afastar da aeronave. Uma gravação feita dentro da cabine mostra um motor em chamas e é possível ouvir os gritos de pânico dos passageiros.

Caixas-pretas encontradas 

De acordo com fontes dos serviços de emergência citados pela imprensa russa, as duas caixas-pretas da aeronave foram encontradas no local do acidente e encaminhadas para investigação.

Um total de 78 pessoas estava a bordo da aeronave quando o piloto foi forçado a retornar para Moscou-Sheremetyevo, alguns minutos depois da decolagem com destino a Murmansk, no norte da Rússia.

Segundo o Comitê de Investigação, órgão responsável pelas principais investigações na Rússia, 41 pessoas morreram. Nove foram hospitalizadas, três delas em estado grave. Um cidadão americano está entre os mortos.

Especialistas trabalham para determinar as causas do acidente. O presidente Vladimir Putin expressou condolências aos parentes das vítimas, segundo seu porta-voz Dmitry Peskov.

Modelo da aeronave inspirava desconfiança em empresas estrangeiras

O Sukhoi Superjet 100, a primeira aeronave civil projetada pela Rússia pós-soviética para competir com a brasileira Embraer e a canadense Bombardier no mercado de aeronaves regionais, foi motivo de orgulho para o país na época de seu lançamento, em 2011. Contudo, desde então, tem sido criticado e teve pouquíssima aceitação fora do mercado russo. Várias empresas estrangeiras expressaram sua desconfiança sobre o aparelho.

Desde que começou a voar, em 2008, este é o segundo acidente fatal envolvendo um Sukhoi Superjet 100, de acordo com a base de dados Aviation Safety Network. Em maio de 2012, um avião que fazia um voo de demonstração caiu na Indonésia, matando 45 pessoas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.