Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Revelada identidade de blogueiro que virou celebridade nacional ao ridicularizar Putin na Rússia

media Alexander Gorbounov, o "herói" russo, crítico feroz do Kremlin e de Putin nas redes sociais. Nikolay Korzhov / AFPTV / AFP

Ele adora ridicularizar o Kremlin e seus relatos nas redes sociais são imensamente populares: sob pressão das autoridades russas, Alexander Gorbounov teve que sair do anonimato neste sábado (4), revelando um jovem prodígio de 27 anos, com graves deficiências físicas. Ele decidiu se mostrar depois que a polícia russa ameaçou seus pais idosos, de 80 e 65 anos respectivamente.

Na plataforma de mensagens do Telegram, a conta StalinGulag tem 300.000 seguidores. No Twitter, mais de um milhão de russos de divertem com seus comentários duros zombando da "hipocrisia" do sistema político russo ou evocando a injustiça e o absurdo comum que podem atingir a população.

Desde a abertura de sua conta no Twitter, em 2013, a identidade do internauta, classificado pelo opositor Alexei Navalny como "o mais importante comentarista político da Rússia" alimentou rumores: Alexander Gorbounov saiu do anonimato nesta semana. O motivo foi a crescente pressão das autoridades, que realizaram buscas na casa de seus pais de 80 e 65 anos que vivem em Makhachkala, capital da república russa do Daguestão, no Cáucaso.

Em Moscou, muitos de seus parentes também foram intimidados, diz o jovem. "Eles podem facilmente colocar alguém na prisão, eles não se importam", disse ele à agência AFP, a quem deu uma entrevista depois de revelar sua identidade à imprensa internacional.

Nos últimos anos, as autoridades continuaram a aumentar a pressão sobre a internet russa. Em março, Vladimir Putin promulgou uma lei que permite bloquear mídias que difusem “fake news” na Internet, e outra bloqueando o conteúdo mostrando "desrespeito" às autoridades.

Alexander Gorbounov não se parece com a imagem tradicional de uma estrela das redes sociais: vítima de atrofia muscular espinhal, uma doença que enfraquece os músculos, ele se movimenta em uma cadeira de rodas e só pode usar seu lado direito para escrever. "Se as autoridades têm realmente medo do que estou escrevendo, é porque elas não valem nada", disse o advogado que se tornou um investidor autodidata, uma atividade que lhe deu dinheiro suficiente para empregar dois motoristas e um cuidador. Ele vive hoje ao lado da esposa em Moscou.

“Puta Herói”

Desde que ele revelou sua identidade, a história de Gorbounov surpreende a Rússia. "Este homem é um puta herói", afirmou o comentarista político Andrew Ryvkin no Twitter, enquanto o escritor e político russo Denis Bilounov já o vê como o "Homem do Ano de 2019".

Pavel Durov, o fundador russo do Telegram, também travou uma batalha com as autoridades russas que tentavam bloquear suas mensagens. Durov validou a conta StalinGulag, de Gorbounov, e ofereceu ajuda ao jovem para que ele pudesse se instalar no exterior. Alexandre Gorbounov, no entanto, afirma não ter a mínima intenção de deixar o país.

Ele afirma não ser um herói, nem um ativista da oposição: apenas um homem que escreve seus pensamentos sobre a vida na Rússia, desde a política externa do país até o estilo de vida, às vezes extravagante, dos amigos de Vladimir Putin. "O que está acontecendo no país é terrível, a injustiça é o que me deixa com raiva", diz.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.