Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Tailândia promove festa da cannabis após legalização de uso medicinal

media Festival na província tailandesa de Buriram ensina a plantar maconha em casa. Lillian SUWANRUMPHA / AFP

Jovens, doentes e cientistas, mas também monges e políticos: milhares de tailandeses participam, neste fim de semana, da primeira festa da cannabis organizada no reino desde a legalização do uso medicinal da erva.

Em um país tradicionalmente conservador, cenas inimagináveis acontecem nos corredores da feira na província de Buriram, ao nordeste de Bangcoc. O monge Chaivisit Visitvekin, de 67 anos, pinga algumas gotas de óleo de cannabis na língua, perto de uma família que posa para fotos em frente a uma majestosa planta que produz a erva, exposta no evento.

Em dezembro, a Tailândia se tornou o primeiro país do sudeste asiático a legalizar o uso medicinal da maconha, um mercado até então dominado por Canadá, Austrália, Israel e diversos estados americanos. A aplicação da lei, no entanto, está atrasada.

“Desde que uso, nunca tive nenhum efeito colateral”, afirma o monge, que recorreu ao medicamento alternativo para tratar dores crônicas no ombro. Já Surrerat Ruangnoy encontra encontrou na cannabis o sonhado alívio para as enxaquecas. “Tirei fotos de pessoas idosas aqui e vou mostrá-las aos meus, para que eles compreendam melhor”, conta a jovem de 26 anos.

Alguns quiosques oferecem papel-seda para enrolar a maconha, ao som de Bob Marley. Outros propõem equipamentos para produzir a planta, enquanto, nas conferências, especialistas ensinam sobre as variedades da cannabis e seus múltiplos usos. O objetivo do evento, assegura o presidente do festival, Newin Chidchob, é “ajudar os tailandeses a compreenderem a cannabis e se beneficiar das suas vantagens”.

Maconha na política e na economia

Chidchob também é um dos fundadores do partido Bhumjaithai (Orgulho Tailandês), que militou pela legalização e pela autorização do cultivo doméstico. Nas últimas eleições legislativas, o partido se tornou uma força política considerável.

A legalização deve se transformar em uma nova opção de agricultura no país, onde reina o cultivo do arroz e da borracha. A venda da maconha, em forma de óleo ou erva, deve gerar um comércio de € 2,7 milhões ao ano, segundo previsões do presidente do Conselho Nacional de Agricultores, publicadas em dezembro.

Durante muitos anos, a maconha foi considerada uma erva tradicional na Tailândia, mas passou a ser classificada como droga nos anos 1970.

Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.