Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 14/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

EUA contestam imposto francês visando gigantes da internet e ameaçam acionar OMC

media Os Gafa (Google, Apple, Facebook e Amazon) são os principais alvos da medida francesa. Damien MEYER / AFP

A proposta francesa de criação de um imposto visando os gigantes da internet não foi bem recebida pelos Estados Unidos. Washington afirma que as possíveis taxas cobradas de Google, Apple, Facebook e Amazon são discriminatórias e ameaça entrar com uma ação junto à Organização Mundial do Comércio (OMC) para impedir a implementação da medida pela União Europeia.

O ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, apresentou na semana passada um projeto de lei criando uma taxa especial para as multinacionais da internet. A medida, que já havia sido anunciada no ano passado, faz parte dos esforços dos países europeus para tentar arrecadar mais impostos das empresas do chamado Gafa (Google, Apple, Facebook e Amazon), acusadas de transferir seus lucros para países onde a política fiscal é mais favorável.

Segundo o texto proposto por Paris, as empresas teriam que contribuir pagando 3% de seu faturamento realizado no território francês. No entanto, apenas as empresas que ganham mais de € 25 milhões na França e mais de e € 750 milhões no mundo seriam visadas pelo novo imposto.

Mas o projeto não agradou as autoridades norte-americanas, onde estão sediadas as principais gigantes da internet. “Nós pensamos que toda a base teórica das taxas sobre os serviços digitais é mal concebida e que o resultado é extremamente discriminatório em relação às multinacionais que têm base nos Estados Unidos”, declarou Chip Harter, responsável do Tesouro norte-americano, encarregado pelo país para as discussões fiscais internacionais. “Já estamos estudando se esse impacto discriminatório não nos daria o direito (de contestar) em razão dos acordos comerciais e tratados na OMC”, completou nesta terça-feira (12) o representante de Washington.

"França decide seus próprios impostos"

O ministro francês da Economia reagiu às declarações, lembrando que a França “é um Estado livre e soberano, que decide seus próprios impostos”. Le Maire disse ainda que não tem medo das medidas de retaliação da parte de Washington.  

A troca de farpas entre os dois países acontece na véspera de uma reunião de dois dias na Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris, na qual o tema da taxa visando os gigantes da internet estará no centro das discussões.  

Além da França, Reino Unido, Espanha e Itália também analisam medidas para tentar recolher mais impostos das empresas do Gafa.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.