Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Acidente com Boeing 737-800 na Etiópia mata 157 pessoas

media Noiva de uma das vítimas do acidente do voo da Ethiopian Airlines aguarda informações sobre o resgate (Foto: Reuters)

Um Boeing 737-800 da companhia Ethiopian Airlines, que ia de Adis Abeba, capital etíope, para Nairobi, no Quênia, caiu neste domingo (10), provocando a morte de 149 passageiros e oito membros da tripulação.

De acordo com um comunicado divulgado pela companhia aérea, as buscas já começaram. O acidente com o voo ET-302 aconteceu por volta das 8h38, no horário local. O Boeing decolou do aeroporto internacional de Bole, em Adis Abeba, e teria perdido contato com a torre de controle seis minutos mais tarde.

A queda aconteceu perto da cidade de Bishotfu, a 62 quilômetros da capital. O piloto, experiente, teria tido "dificuldades", pedido para dar meia-volta e realizar uma aterrissagem de emergência. O avião não tinha problemas técnicos, afirma a companhia.

Sete franceses, 18 canadenses, nove etíopes, oito italianos, oito americanos, sete britânicos, cinco holandeses e um belga estão entre as vítimas. No total, 32 nacionalidades estavam representadas. Não há sobreviventes.

A companhia informou que enviará funcionários ao local do acidente para ajudar as equipes de resgate. Um centro de informações e um número de telefone também foi colocado à disposição dos parentes das vítimas.

Boeing oferece assistência

Em um comunicado a empresa de aviação americana Boeing disse estar "profundamente triste" com a morte dos ocupantes do voo da Ethiopian Airlines e afirmou ter uma equipe técnica "preparada para dar assistência" para ajudar a esclarecer as causas do acidente. No Twitter, o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, publicou uma mensagem enviando suas condolências às famílias.

O Boeing 737-800 Max, da Ethiopian Airlines, é do mesmo modelo do avião da companhia Lion Air, que caiu no mar em outubro do ano passado na Indonésia, 13 minutos depois de ter decolado de Jacarta, deixando 189 mortos.

O último acidente grave de um avião da companhia etíope aconteceu em 2010. O aparelho explodiu depois de ter decolado do aeroporto de Beirute, no Líbano, matando 83 passageiros e sete tripulantes.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.