Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/01 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/01 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/01 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 13/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 13/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Mulheres fazem protesto de topless na Austrália em apoio à jovem saudita

media Mulheres do grupo Secret Sisterhood manifestaram em Sydney para mostrar que na Austrália, as mulheres podem se expressar livremente Facebook Secret Sisterhood

Um grupo de mulheres de topless se manifestou em Sydney, nesta quinta-feira (10). Elas protestam para pedir ao governo australiano que conceda asilo a uma saudita de 18 anos que está em Bangcoc após ter fugido de sua família, que a maltratava.

As quatro manifestantes de Sydney seguravam cartazes com as frases "All women free+safe" (Todas as mulheres livres e seguras) e "Let her in" (Deixem-na entrar). Protestando de topless "quisemos mandar uma mensagem para dizer que, na Austrália, as mulheres podem se expressar livremente e com total segurança. É um contraste flagrante com a Arábia Saudita", explicou o grupo Secret Sisterhood, organizador da manifestação, em sua página no Facebook.

Em meio ao grande alvoroço nas redes sociais causado pelo destino de Rahaf Mohammed Al-Qunun, inclusive com a hashtag #SaveRahaf, a jovem "se tornou um símbolo mundial das mulheres que fogem da opressão", acrescenta o grupo. "Pedimos ao governo que lhe outorgue um visto humanitário".

Rahaf Mohammed Al-Qunun chegou na capital tailandesa no último fim de semana, procedente do Kuwait. A jovem disse querer fugir dos abusos físicos e psicológicos de sua família e pedir asilo na Austrália. Ela também afirmou à ONG Human Rights Watch que queria renunciar ao Islã, o que a coloca "seriamente em perigo", segundo a organização.

"A Austrália começou um processo de avaliação" de seu caso, que está sendo analisado de forma urgente, declarou a chefe da diplomacia do país, Marise Payne, em coletiva de imprensa. A representante de Camberra também se mostrou "muito preocupada" com a possível extradição de um ex-jogador da seleção nacional de futebol do Bahrein, Hakeem Alaraibi, refugiado político na Austrália, mas detido em Bangcoc.

(Com informações da AFP)

 
O tempo de conexão expirou.