Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/04 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/04 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/04 15h06 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/04 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/04 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/04 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Temperatura da Terra pode subir entre 3 e 5° C graus até o fim do século, alerta estudo

media Temperatura terrestre vai subir entre 3 e 5 graus celsius até fim do século. Foto de nuvem de poluição sobre Kuala Lumpur. FlickreviewR,

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial, uma agência das Nações Unidas, se as concentrações dos gases poluentes não diminuírem, a temperatura da superfície terrestre vai aumentar entre 3 e 5°C graus, com consequências catastróficas para o planeta.

Segundo a primeira versão do rascunho da declaração sobre o estado mundial do clima em 2018, produzido pela agência da ONU, a temperatura média da Terra é superior a quase 1° C em relação aos valores anteriores aos da Revolução Industrial (1850-1900).

“As concentrações de gases poluentes atingiram níveis recordes e, se essa tendência se confirmar, corremos o risco de que ela suba até 5°C até o fim do século. Se explorarmos a totalidade dos recursos de combustíveis fósseis, a alta da temperatura será ainda maior”, disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, em um comunicado.

“Insisto: somos a primeira geração a entender e compreender as mudanças climáticas e a última a poder lutar contra suas consequências”, acrescentou. Outros sinais reveladores da mudança climática, como a elevação do nível dos mares, da temperatura, a acidificação dos oceanos e o derretimento das calotas polares continuam se manifestando”, observa o cientista.

Bolsonaro poderá retirar Brasil do acordo

O acordo de Paris sobre o clima, concluído em 2015, prevê uma forte diminuição da utilização de energia fóssil para manter a temperatura o mais próxima possível de 1,5°C. Mas o presidente americano, Donald Trump, decidiu retirar os EUA do acordo e o presidente eleito Jair Bolsonaro também manifestou sua intenção de deixar o acordo.

Neste contexto, a Conferência sobre o Clima de Katowice, na Polônia, que começa domingo, terá dificuldades para adotar as diretrizes necessária para colocar em prática o compromisso assumido no acordo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.