Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Estado Islâmico reivindica atentado que matou seis pessoas no Afeganistão

media Atentado suicida em Cabul deixa ao menos seis mortos REUTERS/Omar Sobhani

Pelo menos seis pessoas morreram em um atentado suicida nesta segunda-feira (12) no centro de Cabul, no Afeganistão, a alguns metros de prédios ministeriais, num cruzamento movimentado da capital. O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque através de seu órgão de propaganda.

Da correspondente da RFI em Cabul, Sonia Ghezali

Quando o kamikaze ativou a bomba que carregava, a explosão ecoou por toda a capital. Os membros dos serviços de segurança que estavam presentes avistaram o suspeito, mas não agiram a tempo para impedir a ação. Perto do local do atentado se encontram vários ministérios, incluindo o das Relações Exteriores do Afeganistão.

Segundo as autoridades, é difícil afirmar qual era o alvo principal da ação terrorista. O movimentado bairro também abriga a escola Istiqlal, onde se ensina o francês, e o Instituto Francês do Afeganistão. Entre as vítimas estão policiais e civis.

Desde a noite de ontem, o centro de Cabul é palco de várias manifestações. Centenas de afegãos da comunidade hazara, minoria xiita do país, marcharam até o palácio presidencial para denunciar a incapacidade do governo de garantir sua segurança. Diversas violências comunitárias ocorrem desde a semana passada, assim como combates entre os talibãs e as forças governamentais.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.