Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Irã diz que vai ignorar novas sanções dos EUA, que entram em vigor nesta segunda-feira

media Em pronunciamento na TV, o presidente iraniano, Hassan Rohani, disse hoje que irá "contornar com orgulho" o embargo imposto pelo governo de Donald Trump e manterá suas exportações de petróleo. Foto: 26/09/18 REUTERS/Brendan Mcdermid /File Photo

Seis meses depois de se retirar do acordo nuclear com o Irã, os Estados Unidos adotaram, nesta segunda-feira (5), novas sanções contra o país, que limitam a exportação de petróleo. O governo iraniano declarou que vai ignorar as medidas, consideradas ilegais por terem sido tomadas fora do acordo assinado em 2015.

Os Estados Unidos vão sancionar entidades ou empresas estrangeiras que continuarem comprando petróleo iraniano ou se relacionando com os bancos do Irã, bloqueando o acesso ao mercado americano. O presidente americano, Donald Trump, busca obter um acordo bilateral com o Irã similar ao negociado com a Coreia do Norte. Ele já deu diversos sinais de que está disposto a se reunir com os dirigentes iranianos. O governo americano impõe 12 condições para assinar um acordo global com o país.

Entre elas, estão restrições mais firmes e duradouras relacionadas ao programa nuclear, o fim da proliferação de mísseis balísticos e das atividades consideradas "desestabilizadoras" de Teerã em países vizinhos. Para obrigar o Irã a cumprir as suas condições, o governo americano pretende impor as sanções "mais fortes da história". São esperadas novas medidas punitivas nos próximos meses.

Embora as principais grandes empresas estrangeiras tenham optado por abandonar o Irã, o efeito da proibição de exportação do petróleo iraniano ainda é difícil de avaliar.

Irã vai continuar exportando petróleo

Em um discurso na TV, o presidente iraniano, Hassan Rohani, disse que o Irã continuará exportando petróleo e vai ignorar as sanções americanas. “Os americanos querem reduzir a ‘nada’ as vendas de petróleo iraniano, mas nós continuaremos a comercializá-lo”, disse o chefe de Estado.

O Irã disse estar “em contato permanente com os signatários do acordo de Viena”, assinado em julho de 2015, sobre seu programa nuclear. O país foi autorizado a desenvolver a energia nuclear para fins civis. Rohani diz que a adoção de um mecanismo que permitirá dar continuidade ao comércio com a UE “levará tempo”.

A maior parte das sanções contra o Irã, terceiro exportador mundial de petróleo, foram suspensas no início de 2016 depois da assinatura do acordo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.