Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/02 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/02 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/02 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/02 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/02 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/02 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Decisão de Bolsonaro de transferir embaixada para Jerusalém desestabiliza a região, dizem palestinos

media As bandeiras de Israel e do Brasil na frente da embaixada em Tel-Aviv JACK GUEZ / AFP

Os palestinos denunciaram nesta sexta-feira (2) a decisão do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de transferir a embaixada brasileira para Israel.

Segundo Hanane Achraoui, responsável do Conselho Central Palestino, órgão da OLP (Organização para a libertação da Palestina), a medida é “provocativa, ilegal do ponto de vista do direito internacional e apenas desestabiliza a região”.

Nesta quinta-feira (1), o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, elogiou a decisão de Bolsonaro, a considerando “histórica”. O anúncio foi feito pelo presidente eleito nesta quinta-feira, que disse estar cumprindo “uma promessa de campanha”.

"Felicito meu amigo e presidente eleito do Brasil Jair Bolsonaro por sua intenção de deslocar a embaixada brasileira para Jerusalém, um passo histórico, justo e animador." O premiê israelense disse que "muito provavelmente" comparecerá à cerimônia de posse de Bolsonaro em Brasília.

Israel considera toda a cidade de Jerusalém como sua capital, enquanto os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como a capital de seu futuro Estado. Para a comunidade internacional, o status da Cidade Santa tem que ser negociado entre as duas partes, e as embaixadas não devem ficar em Jerusalém enquanto não se chegue a um acordo.

Inspiração em Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, rompeu em dezembro de 2017 com uma linha diplomática de mediação na região, mantida durante décadas, ao reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Desde então, o presidente palestino, Mahmud Abbas, pôs fim a todas as relações com o governo Trump.

Depois dos Estados Unidos, Guatemala e Paraguai também transferiram suas embaixadas, embora o governo paraguaio tenha voltado atrás nas últimas semanas, retornando sua missão diplomática para Tel Aviv.

Brasil e Palestina estabeleceram relações diplomáticas em 1975, durante o governo de Ernesto Geisel. Em 2010, sob a presidência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil reconheceu o Estado da Palestina nas fronteiras de 1967 e a delegação especial palestina em Brasília passa a denominar-se Embaixada do Estado da Palestina.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.