Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Acusado de corrupção, deputado malaio diz que terremoto é punição para os gays

media Buscas por desaparecidos no terremoto seguido por um tsunami, que atingiu a ilha de Sulawesi no final de setembro, deixando cerca de 2.000 mortos. REUTERS/Darren Whiteside

O líder da oposição na Malásia disse nesta terça-feira (23) que o terremoto seguido de tsunami que matou milhares de pessoas na vizinha Indonésia foi "punição de Alá" pelas atividades de pessoas gays, provocando uma tempestade de críticas.   

Ahmad Zahid Hamidi lidera um partido que perdeu o poder na maioria muçulmana da Malásia nas eleições históricas de maio e fez as declarações no Parlamento, alertando sobre “a crescente influência da comunidade gay do país”.

Foi o mais recente sinal de uma reação contra os homossexuais na Malásia. Nos últimos meses, autoridades - incluindo o primeiro-ministro - se manifestaram contra os direitos dos homossexuais e duas lésbicas foram punidas com violência por violar as leis islâmicas que proíbem as relações entre pessoas do mesmo sexo. 

Ahmad Zahid, um ex-vice-primeiro-ministro que está sendo acusado de corrupção, disse que "em Palu”, onde houve recentemente um terremoto e um tsunami, “foi dito que havia mais de mil pessoas envolvidas nessas atividades (LGBT)”.    

"Como resultado, toda a área foi atingida. Isso é punição de Alá".  O terremoto de magnitude 7,5 e o subsequente tsunami atingiram a cidade costeira de Palu, na ilha de Sulawesi, em 28 de setembro.    

Mais de 2.000 corpos já foram recuperados e há temores de que outros 5.000 possam estar enterrados sob as ruínas em vários bairros de difícil acesso.

Populismo para salvar a própria pele

As observações de Ahmad Zahid provocaram críticas generalizadas e ele foi acusado de fazer comentários populistas para salvar sua própria pele. 

Pang Khee Teik, um dos principais ativistas dos direitos dos gays, disse que os comentários de Ahmad Zahid eram "a prova de que toda vez que um político está com problemas, as pessoas LGBT são culpadas". 

"Da próxima vez que você ouvir um político dizer que as pessoas LGBT estão causando um desastre natural, lembre-se que é porque sua carreira está prestes a ser engolida pela Terra."    

Houve uma onda de raiva nas mídias sociais, com um usuário do Facebook criticando Ahmad Zahid por sua "declaração estúpida e irresponsável".  

Na semana passada, o homem de 65 anos foi atingido com 45 acusações em um caso de corrupção de US$ 26 milhões. Ele é acusado de crimes que incluem a aceitação de subornos para conceder contratos governamentais e lavagem de dinheiro.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.