Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 15/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 15/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 15/01 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 15/01 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/01 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 13/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 13/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Atentado suicida deixa pelo menos 13 mortos em eleições legislativas no Afeganistão

media Fila de afegãos para votar nas eleições legislativas em Cabul, capital do país. REUTERS/Omar Sobhani

Um atentado suicida deixou pelo menos 13 mortos neste sábado (20), em um bairro do norte de Cabul, no Afeganistão. O ataque aconteceu no dia em que o país realiza suas eleições legislativas. Segundo autoridades do serviço de segurança, entre as vítimas estão civis e policiais. O suicida "foi visto perto de uma estação de voto em Cabul e disparou seu cinturão explosivo", disse Basir Mujahid, porta-voz da polícia da capital.

Diversas outras explosões foram registradas no país e o número total de vítimas ainda é incerto. Por hora nem o Ministério do Interior nem o Ministério da Saúde divulgaram um balanço geral das violências.

Além disso, algumas sessões de votação contam ainda com problemas logísticos que provocam demora no processo de votação e geram longas filas. As autoridades estudam estender o período de votação. Mais de 5.000 seções eleitorais estão abertas em áreas sob controle do governo. Já no nas partes do território controladas pelos talibãs, 2.000 locais de votação não foram abertos. Cerca de 54 mil membros das forças de segurança foram mobilizados para proteger os 8,9 milhões de eleitores.

As eleições parlamentares afegãs acontecem com três anos de atraso e sob ameaças de violência do Estado Islâmico e do Talibã, que na última quinta-feira já havia atacado um prédio do governo em que acontecia uma reunião de segurança.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.