Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Deputados franceses de quatro partidos pedem que Macron inferfira para garantir candidatura de Lula

media Reprodução da carta divulgada nesta quarta-feira (12/09), 38 deputados franceses de diversos partidos (LFI, PCF, LREM, PS) se dirigem a Emmanuel Macron para solicitar que o presidente francês intervenha “a favor de eleições justas e legais no Brasil”. Reprodução lula.com.br

Na França, um grupo de 38 deputados enviou nesta quarta-feira (12) uma carta ao presidente francês Emmanuel Macron em que pedem que o líder francês "use urgentemente todos os meios pacíficos à sua disposição para que Lula possa ser candidato". O documento é assinado por políticos de quatro diferentes partidos, incluindo o República em Marcha, do presidente Emmanuel Macron, o Partido Socialista, do ex-presidente François Hollande, o Partido Comunista Francês e o França Insubmissa.

Os parlamentares argumentam que o Brasil vive "uma instabilidade política há mais de dois anos" e que há uma "possibilidade de que um extremista chegue ao comando do quinto maior país em extensão territorial e sexto em tamanho de população no mundo".

O texto classifica as atuais eleições brasileiras como "ilegais" e lembra que diversas autoridades internacionais já se manifestaram sobre o assunto. "Nossa intervenção está de acordo com o apoio expressado à candidatura de Lula por seis ex-chefes de estado franceses, italianos, espanhóis e belgas, 29 parlamentares dos Estados Unidos, um antigo presidente do Parlamento Europeu, de prestigiados juristas de todas os quadros políticos e, sobretudo, do Comitê de Direitos Humanos da ONU", diz o documento.

Até o momento, o presidente Emmanuel Macron não se manifestou sobre o assunto.

 
O tempo de conexão expirou.