Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/10 15h00 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Repressão policial marca protestos contra corrupção na Romênia

media Repressão policial marca protestos contra corrupção na Romênia. (Foto: Reuters)

Dezenas de milhares de manifestantes foram às ruas de Bucareste, nesta sexta-feira, para denunciar a corrupção, os baixos salários e as tentativas do partido PSD, o partido social democrata, de enfraquecer o Judiciário.

As manifestações foram organizadas em todo o país. A Romênia é considerada como um dos países mais corrompidos da União Europeia.

Na capital, alguns manifestantes tentaram atravessar as barreiras de segurança em torno da sede do governo. Outros lançaram garrafas e pedras nos policiais, que reagiram jogando bombas de gás lacrimogêneo, alegando a presença de “provocadores” no local. Cerca de 400 pessoas precisaram receber atendimento médico.

O presidente Klaus Iohannis, de direita, condenou a violência "excessiva" da polícia. "A ação foi desproporcional em relação aos atos dos manifestantes", escreveu o chefe de Estado romeno em sua página no Facebook. "O Ministério da Segurança Pública deve se pronunciar o mais rapidamente possível sobre a maneira como gerenciou os incidentes dessa noite", acrescentou.

Mudança do Código Penal favorece corrupção

Segundo estimativas do Banco Mundial, entre três e cinco milhões de romenos vivem e trabalham fora do país -o equivalente a um quarto da população. O país foi palco de diversas manifestações desde que os sociais-democratas chegaram ao poder, no início de 2017, e tentaram modificar o Código Penal para descriminalizar diversos infrações ligadas à corrupção. As medidas, que são alvo de um recurso na Corte Constitucional, suscitaram preocupação da Comissão Europeia e do Departamento de Estado Americano.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.