Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Rota do voo MH370 foi mudada, mas acidente continua sem explicação, afirma novo relatório

media O voo MH370 nunca chegou a seu destino VCG/VCG via Getty Images

O desaparecimento do Boeing 777 da companhia Malaysia Airlines, que fazia o trajeto entre Pequim e Kuala Lampur, continua sem explicação. Esta foi uma das conclusões do um novo relatório divulgado nesta segunda-feira (30), que afirma também que a trajetória do voo MH370 foi modificada de forma proposital.

“Os investigadores são incapazes de determinar a causa real do desaparecimento do MH370”, declarou à imprensa o chefe da equipe, Kok Soo Chon. “A causa do acidente só será conhecida se encontrarmos a fuselagem”, admitiu. Segundo eles, ainda que os comandos da aeronave tenham sido modificados para alterar a rota do avião, é impossível identificar os responsáveis.

Em maio, a Malásia colocou fim à segunda operação de buscas submarinas, financiada pela iniciativa privada, que rastreou cerca de 112 mil km2 no sul do oceano Índico durante três meses. Antes, os governos da Austrália, China e Malásia se mobilizaram para encontrar a fuselagem, mas sem sucesso.

O relatório de 495 páginas também indica que uma série de erros pode ter conduzido ao desaparecimento do aparelho. Regras e procedimentos, ressalta o documento, não foram totalmente respeitados. “Esperamos que esses erros não se reproduzam e que várias medidas sejam colocadas em prática para evitar problemas no futuro”, declarou Grace Nathan, filha de uma das vítimas, Anne Daisy, que estava a bordo do boeing da companhia.

Mistério continua

O avião decolou no dia 8 de março de 2014, com 239 pessoas a bordo. O último registro de contato com o aparelho ocorreu logo depois da decolagem: o piloto, Zaharie Ahmad Shah, desejou boa noite para os controladores aéreos ao deixar o espaço aéreo da Malásia.

Diversas teorias tentam explicar o misterioso desaparecimento da aeronave. A primeira hipótese foi a de um atentado terrorista, que levou ao desvio da rota, mas até um possível suicídio do piloto chegou a ser cogitado. O chefe da equipe de buscas, Kok Soo Choo, disse que é pouco provável que o acidente tenha sido causado pelo piloto, mas não descarta nenhuma possibilidade. Além disso, disse, não se pode negar que haja uma terceira pessoa envolvida no acidente.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.