Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 13/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 13/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 13/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 12/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 12/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 12/12 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Após inundações, Japão se prepara para tufão

media Um homem japonês luta contra o vento e a chuva às vésperas da chegada do tufão Jongdari, Tóquio, 28 de julho de 2018 REUTERS/Issei Kato

Um poderoso tufão se aproxima da costa do Japão, o que levou as autoridades a ordenar evacuações, em um país já duramente atingido no início de julho por inundações catastróficas.

O tufão Jongdari, com ventos de até 180 km/h deve atingir Honshu, a principal ilha do arquipélago japonês, neste sábado (28) à noite ou na manhã de domingo (29), de acordo com a Agência Meteorológica japonesa. Imagens exibidas pela televisão mostravam grandes ondas na costa de Shimoda, a sudoeste de Tóquio, enquanto os aviões lutavam para aterrissar em razão das violentas rajadas de vento.

Às 21h00 locais (9h00 de Brasília), o centro do tufão estava localizado 60 km a sudoeste da cidade de Omaezaki. De acordo com a agência Kyodo, um homem desapareceu em Kanagawa, perto de Tóquio, depois que vários veículos, incluindo uma ambulância, ficaram bloqueados em uma estrada à beira mar afetada pelas ondas.

220 mortos

Jongdari deve chegar no domingo em Chugoku, a região ocidental onde as fortes chuvas causaram inundações e deslizamentos de terra no início de julho, deixando cerca de 220 mortos. Mais de 4.000 sobreviventes ainda estão em abrigos temporários e muitos moradores voltaram para suas casas danificadas.

Antes da chegada do tufão, as autoridades alertaram a população sobre o risco de chuvas torrenciais, deslizamentos de terra, ventos muito fortes e ondas gigantes. Foram emitidos alertas de evacuação preventiva para as áreas que enfrentam mais riscos. "Queremos que as pessoas, especialmente nas áreas atingidas pelas chuvas (no início de julho), estejam muito atentas aos conselhos de evacuação", disse a repórteres uma autoridade da agência meteorológica, Minako Sakurai.

Evacuações

As autoridades de Shobara, município de Hiroshima (oeste), ordenaram a evacuação de cerca de 36.400 moradores por precaução. "Mesmo que não tenha chovido aqui, estamos pedindo às pessoas que deixem suas casas antes do anoitecer", declarou Masaharu Kataoka, uma autoridade local. Em Kure, também na região de Hiroshima, cerca de 6.380 habitantes foram obrigados a deixar suas casas, segundo a imprensa japonesa.

Mais de 410 voos domésticos foram cancelados até agora devido à chegada do tufão e as conexões de balsa entre Tóquio e as ilhas vizinhas foram suspensas devido às ondas. As inundações em Chugoku foram o pior desastre causado pelo mau tempo no Japão em décadas.

As autoridades estão particularmente cautelosas porque muitas pessoas ficaram presas por não terem obedecido às ordens de evacuação - que não são obrigatórias no Japão - emitidas tarde demais, segundo os críticos. "Estamos atentos às áreas onde as margens dos rios estão sendo restauradas, porque serão as primeiras grandes chuvas desde o desastre", declarou um funcionário da prefeitura de Okayama em Chugoku, Tadahiko Mizushima.

O Japão, atualmente na temporada de tufões, é regularmente atingido por fortes tempestades durante o verão e o outono.

Com as informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.