Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Indonésia: francês é libertado após 19 anos de prisão por tráfico de drogas

media O francês Michaël Blanc (à direita) e sua mãe Hélène Le Touzey (à esquerda) no embarque em Jacarta (21/07/2018). Handout / Immigration Agency Indonesia / AFP

O francês Michaël Blanc, 45 anos, deixou a Indonésia neste sábado (21), após passar quase 19 anos na cadeia por tráfico de drogas.  O país tem uma rígida legislação contra as drogas.

Em 1999, aos 26 anos, o então cozinheiro foi detido no aeroporto internacional da turística ilha de Bali, com 3,8 kg de haxixe dissimulados em cilindros de mergulho. Ele afirmou que não sabia do conteúdo real e que um amigo lhe pedira que levasse as garrafas.

Condenado à prisão perpétua, Blanc foi beneficiado com uma graça presidencial parcial em 2009, e teve a pena comutada em 20 anos de detenção. Ele obteve liberdade condicional em 2014, mas estava sob controle judiciário e proibido de deixar o país antes de 21 de julho de 2018.

O francês foi expulso do país, como prevê a legislação para os estrangeiros que acabam de cumprir pena. Ele viaja acompanhado da mãe Hélène le Touzey, que batalhou pela redução da pena e libertação do filho. Eles chegam à França neste domingo (22).

Dois brasileiros foram executados na Indonésia há cinco anos, depois de passarem mais de dez anos no corredor da morte. As autoridades brasileiras fizeram vários apelos de clemência, todos negados.

Pena capital para brasileiros

Em 2003, o instrutor de voo carioca Marco Archer foi preso ao tentar entrar na Indonésia com 13,4 kg de cocaína escondidos em tubos de sua asa delta. Um ano depois, foi julgado e condenado à morte, tendo passado mais de dez anos à espera do cumprimento da sentença. Ele foi fuzilado em janeiro de 2015, aos 53 anos.

O paranaense Rodrigo Gularte foi fuzilado em abril do mesmo ano, aos 42 anos. Ele havia sido condenado à morte em 2005, depois de ser preso um ano antes ao tentar entrar na Indonésia com 6 kg de cocaína escondidos em pranchas de surfe.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.