Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Acusado de ser uma das principais vozes do EI na França, jihadista francês é capturado na Síria

media Membros das Forças Democráticas Sírias em Raqqa REUTERS/Rodi Said

As Forças Democráticas Sírias (FDS), coalizão curdo-árabe que recebe apoio de Washington e de Paris, anunciou nesta quinta-feira (24) a captura do jihadista francês Adrien Guihal em Raqa, norte da Síria. Acusado de ser “a voz da revindicação” do atentado de Nice, sudeste da França, em julho de 2016, o terrorista já havia sido condenado em 2012 a quatro anos de prisão por tentativa de atentado, antes de fugir para se unir ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

“Os serviços de investigação das FDS conduziram uma operação no sábado (19) que permitiu a captura de um grupo de jihadistas do EI, incluindo Adrien Guihal, mais conhecido sob a alcunha de Abou Oussama al-faransi”, diz o comunicado publicado pela organização. O jihadista foi preso em companhia de sua esposa, cujo nome não foi revelado.

Cerca de 500 jihadistas franceses se encontram foragidos ou prisioneiros

As FDS conseguiram capturar vários jihadistas franceses do EI que viviam na clandestinidade. Mais de 40 pessoas, em sua maioria mulheres e crianças, estariam detidas pelas forças curdas que controlam os territórios do norte da Síria.

De acordo com as autoridades francesas, por volta de 500 dos 2000 jihadistas que deixaram a França para se unirem ao EI estão hoje foragidos ou prisioneiros. Entre os detidos se encontram Thomas Barnouin, de 36 anos, terrorista desde 2000 e Emilie König, uma das jihadistas francesas mais conhecidas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.