Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/05 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/05 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/05 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/05 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/05 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/05 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/05 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Crise na Faixa de Gaza estremece relações entre Israel e Turquia

media O presidente turco Recep Tayyip Erdogan acusou Israel de "terrorismo de Estado" e "genocídio" REUTERS/Umit Bektas/File Photo

A repressão aos manifestantes palestinos que contestam a transferência da embaixada norte-americana para Jerusalém resultou em tensões que vão bem além do conflito israelo-palestino. A relação entre o Estado Hebreu e a Turquia foi uma das primeiras atingidas pela crise.

Com informações de Michel Paul, correspondente da RFI em Jerusalém

A Turquia ordenou nesta quarta-feira (16) que o cônsul-geral de Israel em Istambul abandone o país temporariamente, um dia depois da ordem do governo israelense para que o cônsul turco deixe Jerusalém.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, um islamita conservador, acusou na segunda-feira (14) Israel de "terrorismo de Estado" e "genocídio", após a morte de mais de 60 pessoas na fronteira da Faixa de Gaza. Em resposta, o primeiro-ministro israelense Benyamin Netanyahu disse que “não vai receber lições de moral de Erdogan, que tem as mãos cheias de sangue”.

Em dezembro passado, quando Washington anunciou a transferência de sua embaixada, o tom já havia endurecido entre os dois países. “Nós não abandonaremos Jerusalém à mercê de um Estado que mata crianças”, declarou Erdogan.

A troca de farpas coloca em risco a normalização das relações iniciada em 2016 entre Turquia e Israel, após uma grave crise diplomática provocada por um ataque israelense contra um barco de uma ONG que tentava romper o bloqueio de Gaza.

Diante das tensões recentes, o governo israelense se afasta cada vez mais dos turcos, colocando inclusive em pauta assuntos sensíveis e até então evitados. Prova disso, um grupo de deputados israelenses propõe a adoção urgente do reconhecimento do genocídio armênio, um dos temas mais delicados quando se trata de relação diplomática com a Turquia.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.