Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 11/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 11/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 11/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 10/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 10/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 10/12 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

OMS exige acesso imediato a vítimas de ataque químico na Síria

media Criança é tratada em um hospital em Duma, na Síria, depois do que um grupo de assistência médica da Síria afirma ser uma suspeita de ataque químico. 09/04/2018 White Helmets/Handout via REUTERS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) exigiu nesta quarta-feira (11) "acesso imediato" às vítimas de um suposto ataque químico na Síria, expressando indignação com o bombardeio que resultou em sintomas semelhantes aos causados por substâncias tóxicas.    

"Todos devemos ficar indignados com as notícias e imagens horríveis de Duma", onde o ataque ocorreu no sábado, disse Peter Salama, chefe do setor de emergências da agência da ONU.    

"A OMS exige acesso imediato e irrestrito à área para tratar os afetados, avaliar o impacto na saúde e fornecer uma resposta abrangente de saúde pública", disse ele em um comunicado.   

Citando informações publicadas por organizações locais de saúde em Duma (a leste de Damasco), a OMS informou que "cerca de 500 pacientes tiveram sinais e sintomas consistentes com a exposição a produtos químicos tóxicos".    

"Havia sinais de irritação severa das membranas mucosas, problemas respiratórios e distúrbios do sistema nervoso em pessoas expostas", disse o comunicado.    

Os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a França acusam o regime do presidente sírio Bashar al-Assad de ser responsável pelo ataque e ameaçam dar uma resposta militar à Síria.    

A OMS entregou a clínicas locais medicamentos que podem tratar a contaminação por certos tipos de agentes químicos, através de comboios humanitários implantados na Síria nos últimos anos.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.