Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/02 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/02 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/02 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/02 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/02 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/02 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

EUA e UE expulsam diplomatas russos após envenenamento de ex-espião no Reino Unido

media Local onde ocorreu o envenenamento de Serguei Skripal e sua filha,Yulia, em Salisbury, no Reino Unido (Foto: Reuters)

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (26) a expulsão de 60 "espiões" russos e o fechamento do consulado da Rússia em Seattle como parte de um gesto coordenado com outros países ocidentais pelo ataque químico contra um ex-espião russo no Reino Unido. Quatorze países da União Europeia decidiram nesta segunda-feira (26) expulsar diplomatas russos.

Em uma nota oficial, a Casa Branca informa que a ação foi adotada "em conjunto com nossos aliados da Otan", acrescentando que Washington está disposto a construir melhores relações com Moscou, mas que isso só será possível "com uma mudança no comportamento do governo da Rússia".

Simultâneo ao anúncio americano, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, informou que 14 países da União Europeia decidiram nesta segunda-feira expulsar diplomatas russos. "Concretamente, 14 países da UE decidiram expulsar diplomatas russo", declarou Tusk em Varna, na Bulgária, onde deve participar de uma reunião dos líderes da UE com o presidente turco Recip Tayyip Erdogan.

"Medidas adicionais, incluindo novas expulsões, não estão excluídas nos próximos dias e semanas", acrescentou Tusk. Entre os países que anunciaram a expulsão de diplomatas russos, estão a Alemanha (quatro expulsos), França (quatro), República Tcheca (três), Itália (dois), Dinamarca (dois), Ucrânia (treze) e Polônia (quatro).

O Canadá também ordenou nesta segunda-feira a expulsão de quatro diplomatas russos e negou credencial a outros três pelo caso do envenenamento do ex-espião russo Sergueï Skripal no Reino Unido. Esta decisão faz parte de uma medida coordenada com outros países ocidentais.

"O ataque com um agente químico em Salisbury, em solo de um sócio próximo e aliado do Canadá, é um ato desprezível, atroz e insensato, ao por em perigo potencial a vida de centenas de pessoas", afirmou a chanceler Chrystia Freeland, em um comunicado.

A Rússia reagiu às expulsões, e disse que a expulsão dos diplomatas é um ato de "provocação".

Envenenamento

No dia 4 de março, Serguei Skripal, um ex-coronel russo que vendeu segredos de Estado para o Reino Unido, e sua filha, foram encontrados inconscientes em um banco nas ruas de Salisbury. Eles foram atacados com um agente neurotóxico militar russo, de acordo com Londres.

A ordem do juiz fornece pistas sobre a gravidade do estado do ex-militar de 66 anos e sua filha de 33, ao afirmar que "as evidências médicas indicam que sua capacidade mental está em risco".

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.