Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Kim Jong-un está "avaliando" possível encontro com Trump, diz ministra sul-coreana

media Diplomata norte-coreano Choe Kang Il embarca para negociações em Helsinki, em 18 de março de 2018. REUTERS/Thomas Peter

O líder norte-coreano Kim Jong-un está "examinando a situação" após a decisão "extremamente corajosa" do presidente americano Donald Trump de aceitar um encontro histórico entre ambos, declarou a ministra sul-coreana das Relações Exteriores, Kang Kyung-wha, em um entrevista publicada neste domingo (18) nos Estados Unidos.

Pyongyang ainda não respondeu publicamente ao presidente americano, que surpreendeu até a seus próprios diplomatas ao aceitar o convite para o encontro. "Acreditamos que o dirigente norte-coreano está examinando a situação. Nós damos a ele o benefício da dúvida, e o tempo que poderia precisar para enviar uma mensagem pública", disse a ministra sul-coreana à rede de televisão americana CBS no domingo (18).

Negociações para definir detalhes do encontro

Negociações entre oficiais da Coreia do Norte e da Suécia, país que representa os interesses americanos em Pyongyang, foram concluídas no sábado em Estocolmo sem um anúncio concreto sobre a possível reunião entre Trump e Kim. No entanto, um alto diplomata norte-coreano chegou neste domingo à Finlândia para reunir-se com representantes americanos e sul-coreanos a fim de concretizar os planos de encontro entre os dois presidentes e discutir o programa nuclear norte-coreano.

Até o momento não se definiram data ou local para a possível cúpula, e a Coreia do Norte sequer confirmou sua participação no encontro. No entanto, Kang Kyung-wha estima que "um canal de comunicação" foi estabelecido. "Estou certa de que há uma troca de mensagens", acrescentou. "Mas acho que o líder norte-coreano precisaria de tempo devido à rapidez com que o presidente Trump aceitou o convite ao diálogo. Acho que todos fomos bastante surpreendidos pela rapidez dessa decisão", reconheceu antes de elogiar a resposta do presidente americano. "Acho que foi uma decisão extremamente corajosa por parte do presidente Trump", afirmou.

Promessa de Kim tem grande peso, diz ministra sul-coreana

A ministra ressaltou que o dirigente norte-coreano se comprometeu a discutir a desnuclearização do país e afirmou que suspenderia todos os testes nucleares e balísticos até que o encontro acontecesse. "Essa é uma promessa de peso, já que é a primeira vez que ela veio diretamente do líder norte coreano, o que nunca aconteceu antes," afirmou Kang. Ela diz ainda que nada foi oferecido aos norte-coreanos como recompensa pelo diálogo. 

Perguntada se a Coreia do Sul confiava em Kim, Kang disse: "Não é uma questão de confiança. É uma questão de discutir e pressionar por ações. E uma vez que você vê essas ações, então você pode continuar avançando."

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.