Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Filipinas confirma saída do Tribunal Penal Internacional

media O presidente filipino, Rodrigo Duterte. © Reuters

O governo das Filipinas anunciou nesta sexta-feira (16) que notificou oficialmente a ONU sobre a saída do país do tratado de criação do Tribunal Penal Internacional (TPI), que está investigando a mortal guerra contra as drogas comandada pelo polêmico presidente Rodrigo Duterte.

O anúncio aconteceu poucos dias depois de o próprio Duterte ter antecipado que o país abandonaria o tribunal em consequência da investigação preliminar, iniciada mês passado, após acusações de que sua guerra contra o narcotráfico implica crimes contra a humanidade.

A polícia filipina afirma que matou 4.100 supostos traficantes e consumidores de droga na campanha, mas os grupos de defesa dos direitos humanos acreditam que o balanço é três vezes superior e acusam as autoridades de assassinato.

Manila informou em uma carta enviada na quinta-feira às Nações Unidas, que mediou as negociações para a criação do TPI, sua retirada do Estatuto de Roma.

"A decisão de abandonar é uma posição de princípio das Filipinas contra o que pretendem politizar e militarizar os direitos humanos", afirma a carta.

Oficialmente, para abandonar o TPI é necessário um aviso com um ano de antecedência e, segundo especialistas, a saída não impede investigações de supostos crimes que provocara preocupação internacional.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.