Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

União Europeia vê com otimismo possiblidade de acordo

media Presidente Macron em visita ao Salão da Agricultura 2018: o setor agropecuário francês é o que mais resiste ao acorde de livre comércio entre a UE e o Mercosul. REUTERS/Ludovic Marin/Pool

A comissária europeia de Comércio, Cecilia Malmström, avaliou, nesta segunda-feira (26), que a União Europeia (UE) e o Mercosul estão "muito próximos de um acordo" comercial, ainda que as negociações pareçam patinar.

Questionada sobre o andamento das negociações, a comissária sueca falou sobre o assunto quando participava de uma conferência em Sofia.

"Eu acho que os problemas pendentes podem ser resolvidos, mas eu não posso dar uma data", afirmou, destacando que a proximidade das eleições brasileiras aumentam a pressão.

Representantes da EU, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai podem concluir um acordo de livre-comércio em breve. Eles retomaram as negociações em Assunção na semana passada.

"Estamos identificando as dificuldades remanescentes (...) e ainda estamos discutindo algumas questões relacionadas a (exportar) carros e a regras de origem", declarou a comissária.

Vacas x automóveis, o problema de sempre

Segundo uma fonte europeia, o Brasil aceitaria reduzir significativamente as tarifas aduaneiras sobre os carros europeus, desde que eles incluam uma parte significativa de peças fabricadas no Mercosul. Os europeus, entretanto, não aceitam bem isso.

"Como sempre em negociações comerciais, ainda há algumas questões agropecuárias para resolver", afirmou Malmström.

Entre os integrantes da UE, França e Irlanda são os mais preocupados com potenciais repercussões negativas do acordo para seus setores agropecuários, sobretudo devido à importação de carne bovina do Mercosul.

Com agência AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.