Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

França e EUA preocupados com escalada da violência na Síria

media Criança caminha perto de prédios em ruínas na cidade de Duma, em Guta Oriental. REUTERS/Bassam Khabieh

Estados Unidos e França manifestaram preocupação com a escalada da violência na Síria e com a degradação crescente da situação no país. O número de civis mortos em bombardeios do regime no reduto rebelde de Guta oriental chegou a 25 entre domingo e terça-feira (20).

Em Paris, o chefe da diplomacia francesa, Jean-Yves le Drian, alertou que "a situação na Síria se degrada consideravelmente" e que caminha para uma "tragédia humanitária". Ele informou que, a pedido do presidente Emmanuel Macron, seguirá nos próximos dias para Moscou e Teerã, conversar com os dois aliados da Síria.

Em Washington, a porta-voz do Departamento de Estado americano, Heather Nauert, disse a jornalistas que os Estados Unidos estão "profundamente preocupados" com a intensificação dos ataques russos e sírios no enclave.

"A cessação da violência precisa começar agora", declarou Nauert, criticando o que ela chamou de "táticas para sitiar e esfomear" do regime do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Ofensiva vigorosa

As forças do regime e seus aliados russos lançam desde 5 de fevereiro uma vigorosa ofensiva contra a região da Guta Oriental, enclave controlado pelos rebeldes no subúrbio de Damasco. Os bombardeios incessantes, aéreos e de artilharia, deixaram pelo menos 250 mortos civis desde o domingo, segundo um balanço da ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Importantes forças leais ao presidente sírio foram reunidas nas imediações de Guta para o que parece ser o prelúdio de uma ofensiva terrestre de grande envergadura.

Várias agências da ONU têm condenado os bombardeios maciços contra Guta. Os bombardeios de civis "devem cessar imediatamente" exigiu o coordenador da ONU para a ajuda humanitária na Síria, Panos Moumtzis, alertando para as cerca de 400 mil pessoas encurraladas no enclave rebelde, entre as quais foram registrados casos severos de desnutrição.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.