Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 20/01 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 20/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 20/01 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/01 14h00 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 18/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 18/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Avião comercial cai em zona montanhosa do Irã com 66 a bordo

media Um avião da companhia Aseman Airlines. Source: Wikipédia, photo: Konstantin von Wedelstaedt

Um avião iraniano da companhia Iran Asenam Airlines que fazia a ligação entre a capital Teerã a cidade de Yasuj (sudoeste), com 66 pessoas a bordo, caiu neste domingo (18) em uma zona montanhosa do centro do país. Inicialmente, a empresa declarou que não havia sobreviventes, mas depois voltou atrás. As autoridades iranianas ignoram as causas do acidente.

O aparelho desapareceu dos radares 50 minutos após a decolagem. O avião deixou o aeroporto de Teerã às 8h, pelo horário local, em direção a Yasuj, na província de Ispahan, e caiu no monte Dena, que faz parte da cadeia montanhosa de Zagros, a cerca de 500 km de distância de Teerã. Nesse ponto da viagem, o voo estava a 25 km de seu destino final.

As causas da queda ainda não são conhecidas, mas uma tempestade de neve atingia a região na manhã de domingo. Equipes de resgate tentam localizar o aparelho.

Informações confusas

Moradores de Samirom, no centro do Irã, afirmam ter visto o aparelho – um modelo ATR-72, fabricado pelo consórcio Airbus-Finmeccanica – cair em uma zona montanhosa próxima da cidade.

Em um primeiro momento, o porta-voz da companhia aérea, Mohammad Tabatabai, declarou à televisão estatal Irib que buscas efetuadas na região indicavam que os 60 passageiros e seis tripulantes da aeronave tinham morrido no acidente. Pouco tempo depois, ele voltou atrás dizendo que o aparelho não tinha sido encontrado e, por isso, a companhia "não podia confirmar de forma precisa e definitiva a morte de todos os passageiros".

O último acidente grave com um avião de linha iraniano aconteceu em 2014, quando 39 pessoas morreram na queda de um Antonov 140 da companhia iraniana Sepahan.

Frota envelhecida

As sanções impostas pela ONU, pelos Estados Unidos e por países europeus ao Irã impediram durante vários anos a renovação da frota de aviões comerciais do país. A manutenção dos aparelhos e a troca de peças também foi prejudicada pelo embargo, parcialmente suspenso após o acordo nuclear assinado em 2015 pelo governo iraniano e as grandes potências.

Depois do levantamento parcial das sanções, a Iran Air assinou no final de 2016 a compra de 100 aeronaves da Airbus por um valor de cerca de US$ 20 bilhões. A mesma companhia também assinou o maior contrato em 40 anos com a americana Boeing, para a aquisição de 80 aparelhos a fim de substituir a frota envelhecida.

Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.