Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 14/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 14/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 14/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 14/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 14/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 14/12 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Depois da permissão para dirigir, mulheres sauditas poderão ver futebol em estádio

media Torcedoras do clube Al-Ahli fazem fila nas entradas para famílias e mulheres no estádio de Jidá, nesta sexta-feira (12). STRINGER / AFP

As mulheres assistirão pela primeira vez a uma partida de futebol ao vivo do estádio, nesta sexta-feira (12) em Jidá, um feito inédito na Arábia Saudita, um reino muçulmano ultraconservador que dá indícios de uma tímida abertura social.

Entre as reformas empreendidas pelo jovem príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, destacam-se a autorização de dirigir para as mulheres a partir de junho e a reabertura dos cinemas do país em março.

Mas, nesse país regido estritamente pelos preceitos do islã, as mulheres seguem sendo obrigadas a usar a burca em público e a ter um tutor legal masculino - pai, irmão, marido - para poder viajar ou estudar.

Nesta sexta-feira, contudo, elas poderão sentar-se pela primeira vez nas arquibancadas do estádio Cidade do Esporte Rei Abdullah, em Jidá, no oeste do país, para assistir a um jogo de futebol.

As espectadoras poderão ir ao estádio sozinhas ou acompanhadas para assistir ao confronto entre o Al Ahli e o Al Batin e ficarão sentadas em um local especialmente reservado para o público feminino.

As mulheres sauditas se mostraram felizes com a nova medida.

"Eu assistia aos jogos pela televisão, enquanto meus irmãos iam ao estádio. Eu ficava triste e me perguntava por que não podia ir? Mas hoje isso mudou, é um dia de prazer e alegria", declarou à AFP a torcedora Nura Bajuryi.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.