Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Coreia do Norte vê “provocação” em maiores exercícios militares de EUA e Coreia do Sul

media Militares norte-coreanos participam de celebração na praça Kim Il-sung, em Pyongyang, em 01/12/2017. Reuters/ North Korea's Korean Central News Agency (KCNA)

A Coreia do Norte acusou a Coreia do Sul e os Estados Unidos de “beligerantes”, na véspera da realização do maior exercício aéreo conjunto já feito por Seul e Washington. As manobras "Vigilant Ace" começarão nesta segunda-feira, durante cinco dias, e vão contar com 230 aviões, entre eles caças invisíveis F-22 Raptor.

Por meio da imprensa oficial, o governo norte-coreano declarou que os exercícios são "uma provocação clara", que pode resultar em "uma guerra nuclear a qualquer momento".

"Os beligerantes americanos e sua marionete sul-coreana deveriam lembrar que seu exercício militar dirigido contra a Coreia do Norte será tão estúpido quanto um ato para precipitar sua autodestruição", afirma o jornal Rodong do partido único no poder, em seu editorial.

No sábado, o Ministério norte-coreano das Relações Exteriores acusou a administração de Donald Trump de "querer a guerra nuclear a qualquer custo" com essa simulação aérea. As manobras acontecem apenas poucos dias depois de o regime norte-coreano testar um míssil balístico intercontinental (ICBM). O artefato teria capacidade de atingir a área continental dos Estados Unidos.

O alto conselheiro de segurança militar de Donald Trump H.R. McMaster disse que o risco de um conflito com a Coreia do Norte "aumenta a cada dia" e que os Estados Unidos estão "em uma corrida para resolver o problema".

"Há maneiras de enfrentar esse problema fora de um conflito armado, mas é uma corrida, porque se aproxima cada vez mais [da chegada]. Não resta muito tempo",

Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.