Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 23/01 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 23/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 23/01 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 22/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 22/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 22/01 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 21/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 21/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Trump e Putin querem garantir estabilidade na Síria unificada

media Combatentes das Forças Democráticas Sírias (FDS) lutam contra o grupo Estado Islâmico REUTERS/Rodi Said

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu homólogo russo, Vladimir Putin, mantiveram uma longa conversa telefônica nesta terça-feira (21), na qual concordaram com a necessidade de assegurar "a estabilidade de uma Síria unificada", revelou a Casa Branca.

Os dois líderes enfatizaram a necessidade de se "resolver pacificamente a guerra civil síria, acabar com a crise humanitária, permitir aos deslocados sírios regressar a seus lares e assegurar a estabilidade de uma síria unificada livre da intervenção maligna e dos santuários para terroristas".

A unificação da Síria será uma tarefa extraordinariamente delicada, já que o país está dividido entre as forças aliadas ao presidente Bashar al Assad, apoiadas pelo Kremlin, e as Forças Democráticas Sírias (FDS), que têm o apoio de Washington, além da presença de vários grupos jihadistas.

Durante a conversa, Trump e Putin concordaram na necessidade de se implementar a resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU, que pede o fim das hostilidades e o acesso à ajuda humanitária, assim como a manutenção de diálogos de paz entre as partes.

Os Estados Unidos já apoiaram diversas forças rebeldes na Síria como as FDS, que enfrentaram o grupo radical Estado Islâmico, enquanto a Rússia tem um papel ainda mais direto no conflito, com ataques aos jihadistas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.