Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 09/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 09/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 09/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 09/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 07/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 07/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Kevin Spacey, Dustin Hofman: denúncias de abusos continuam

media Dustin Hoffman (esq.) junta-se à lista de famosos acusados de assédio sexual, como o ator Kevin Spacey. REUTERS/Eduardo Munoz Alvarez/Luke MacGregor

A cada dia desde o escândalo do produtor Harvey Weinstein, que abalou Hollywood, novas denúncias de abusos sexuais envolvendo personalidades públicas vêm à tona. Desta vez, são os atores Kevin Spacey e Dustin Hofmann que estão no centro dos holofotes – Spacey é acusado por uma segunda suposta vítima e uma terceira testemunha, e Hoffman é denunciado por uma atriz que tinha 17 anos quando teria sido abusada.

Um ex-funcionário do teatro londrino Old Vic, do qual o ator americano Kevin Spacey foi diretor artístico durante 11 anos, se somou às outras duas denúncias de assédio sexual feitas contra o artista.

"Eu o vi passar a mão em homens em várias ocasiões, em todo o tipo de situação (...), em seu apartamento de North Lambeth, em seu pub favorito, e inclusive no Old Vic", declarou o homem, sob anonimato, ao jornal britânico The Guardian. "Se aproveitava do fato de ser uma grande estrela, ele tocava os homens entre as pernas, fazendo rapidamente para que não pudessem se afastar de seu caminho", explicou. "O que me incomoda é a hipocrisia de lugares como o Old Vic, que agora afirmam que não sabiam de nada", continuou.

Rebecca Gooden, estagiária do Old Vic em 2010, contou ao The Guardian que as histórias sobre o comportamento de Spacey, de 58 anos, eram muito conhecidas no teatro dirigido pelo ator entre 2004 e 2015. Segundo contaram a ela, a administração do local negou candidaturas de vários jovens "bonitos" para algum posto depois que tiveram incidentes relacionados com Spacey.

Assédios viraram piada em teatro

O astro, vencedor de dois prêmios Oscar, está no olho do furacão desde que o ator Anthony Rapp, de 46 anos, o acusou de tentar agredi-lo sexualmente quando tinha apenas 14 anos. Nesta quarta-feira (1º), o ator mexicano Roberto Cavazos também se uniu às acusações, ao afirmar que teve "encontros desagradáveis" com o outrora aclamado protagonista da série "House of Cards".

Cavazos escreveu no Facebook que os encontros com Spacey, ocorridos no Old Vic, "estiveram no limite do que poderia ser chamado de assédio". “Parece que a única exigência era ser um homem com menos de 30 anos para que o sr. Spacey sentisse que estava livre para nos tocar", escreveu. "Era tão comum que até virou uma piada (de muito mau gosto)", completou.

Contactado pela AFP, o Old Vic afirmou em um e-mail que "não está atualmente em condições de comentar o que poderia ter acontecido no passado". O teatro disse ter criado na terça-feira um e-mail (confidential@oldvictheatre.com) para o qual as pessoas podem enviar queixas a respeito de um possível comportamento inapropriado de Spacey.

Também remonta há mais de 30 anos a denúncia feita contra o ícone Dustin Hoffman, feita na quarta-feira (1º). Em um editorial na Hollywood Reporter, a escritora Anna Graham Hunter acusou o ator - hoje com 80 anos - de tê-la tocado nas nádegas em várias ocasiões e de assediá-la quando tinha apenas 17 anos.

Hunter contou que, em diversos momentos, Hoffman fazia comentários sexuais inapropriados para ela, durante as gravações de um filme de Volker Schlöndorff, de 1985.

Diretor teria obrigado atriz a fazer sexo oral

Ainda nesta quarta-feira, o diretor de cinema Brett Ratner foi apontado pelas atrizes Natasha Henstridge e Olivia Munn e outras quatro mulheres por má conduta sexual ou assédio. O diretor de "A hora do rush" e "X-Men: o confronto final" tem 48 anos e rebateu as acusações com firmeza, em uma nota enviada ao Times por seu advogado.

Natasha disse ao mesmo jornal que era uma modelo de 19 anos em Nova York, no início da década de 1990, quando Rather, que dirigia clipes musicais e tinha cerca de 20 anos, obrigou-a a fazer sexo oral. "Ele me forçou com seus braços, de verdade. Me forçou fisicamente", descreveu Henstridge, que trabalhou em filmes como "A experiência" e "Meu vizinho mafioso". "Em determinado momento, parei de resistir e ele fez o que queria", relatou.

Henstridge disse ter-se inspirado nas histórias de outras mulheres que lançaram, recentemente, acusações de assédio sexual por parte do produtor Harvey Weinstein e do diretor James Toback.

Já Munn, que trabalhou na série da HBO "The Newsroom" e no filme "Magic Mike", disse ao Times que Ratner se masturbou na frente dela, quando era uma atriz iniciante no set de "Ladrão de diamantes". A história foi contada em um livro de sua autoria, sem mencionar diretamente o diretor. Agora, alegou ela, chegou a hora de falar.

"Tomei decisões específicas, conscientes, para não trabalhar com Brett Ratner ", desabafou, na entrevista ao jornal. Outras quatro mulheres também contaram ao jornal histórias sobre o mau comportamento sexual de do diretor.

Informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.