Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/02 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/02 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/02 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/02 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/02 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/02 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Nobel de Economia premia pesquisa sobre finança comportamental

media O Prêmio Nobel de Economia foi atribuído, nesta segunda-feira (9), ao americano Richard H. Thaler, da Universidade de Chicago, por seus trabalhos sobre os mecanismos psicológicos e sociais que operam nas decisões dos consumidores, ou investidores. News Agency/Henrik Montgomery via REUTERS

O Prêmio Nobel de Economia foi atribuído, nesta segunda-feira (9), ao americano Richard H. Thaler, da Universidade de Chicago, por seus trabalhos sobre os mecanismos psicológicos e sociais que operam nas decisões dos consumidores ou investidores.

“Suas descobertas empíricas contribuíram muito para a criação de um novo campo de estudos da economia comportamental, que teve um impacto profundo em várias áreas da pesquisa econômica e política", explicou Göran Hansson, secretário-geral da Academia sueca. Segundo ele, a racionalidade e as preferências sociais "afetam sistematicamente as decisões individuais e as orientações dos mercados",

O prêmio Nobel de Economia foi criado em 1968.A famosa distinção está avaliada em 9 milhões de coroas suecas, cerca de € 945 mil euros.

Contabilidade mental

Thaler, formado pela Universidade de Rochester, teorizou o conceito de “contabilidade mental”. Sua teoria demonstra como os indivíduos “simplificam as tomadas de decisões em questões financeiras, se concentrando mais no impacto de cada decisão individual do que no efeito global”.

Aos 72 anos, pertencente à chamada "escola de Chicago" de Milton Friedman, ele confirma o favoritismo dos americanos ao prêmio. Além disso, seu estudo destaca como “a aversão às perdas pode explicar porque os indivíduos dão mais valor a algo que eles têm do que àquilo que não têm.” O fenômeno é conhecido como “aversão à expropriação”.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.