Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Opositores protestam no aniversário de Putin; 200 são presos

media Apoiadores do líder opositor Alexeï Navalny protestam nas ruas de Moscou, no dia do aniversário de Vladimir Putin. REUTERS/Tatyana Makeyeva

Mais de 200 opositores do presidente russo, Vladimir Putin, foram detidos durante protestos a favor do líder opositor Alexeï Navalny, que está preso. A maior manifestação aconteceu em São Peterburgo, cidade natal de Putin, que comemora 65 anos neste sábado (7).

Em geral, o aniversário de Putin é celebrado por seus apoiadores, com comemorações públicas. Desta vez, porém, a data foi marcada pelo protesto, estimulado por Navalny. Nesta semana, ele foi condenado a 20 anos de prisão por convocar manifestações não autorizadas.

Houve protestos em 80 cidades do país, mas os mais expressivos foram os de São Petesburgo. A ONG opositora OVD-Info afirma que, em toda a Rússia, foram 235 detenções de manifestantes, muitas das quais feitas com violência.

“Não aguentamos mais Putin. Ele está no poder desde que eu tenho lembrança e só o que vemos é corrupção”, afirmou o jovem Igor Klimov, de 20 anos.

Putin rumo a um quarto mandato

As próximas eleições presidenciais na Rússia acontecem em cinco meses e, ao que tudo indica, o presidente deve disputar um quarto mandato no cargo. Ele está no poder desde 1999, como presidente ou primeiro-ministro.

Navalny, o seu principal opositor, tem poucas chances de concorrer. A comissão eleitoral central indicou, em junho, que ele possui uma condenação judicial por desvio de dinheiro, o que o impediria de se candidatar.

A manifestação e a repressão do ato neste sábado foram menores do que os registrados em junho, quando milhares de pessoas, em especial jovens, foram às ruas apoiar o opositor, de 41 anos. Navalny ficou conhecido por investigar a corrupção na elite russa. É a terceira vez que ele é preso neste ano.

Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.