Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 19/10 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 19/10 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/10 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Furacão Irma deixa rastro de destruição em Cuba e é esperado em Miami

media O furacão Irma atingiu a costa cubana nesta sexta-feira (8) REUTERS/Alexandre Meneghini

O furacão Irma chegou na noite desta desta sexta-feira (8) à costa norte de Cuba depois de deixar um rastro de destruição em sua passagem pelo Caribe. A informação foi divulgada pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

O gigantesco furacão atingiu o arquipélago de Camagüey, a 190 km de Caibarién, às 3h da madrugada. A cidade cubana fica a apenas 485 km de Miami. Os ventos chegaram a mais de 260 km/h, o que o coloca na categoria 5, a mais violenta da chamada escala de Saffir-Simpson, que mede a força desse tipo de fenômeno. Os primeiros efeitos do Irma já foram sentidos na manhã desta sexta-feira, em Baracoa, a cidade mais antiga de Cuba, onde o mar chegou a invadir o centro da cidade.

A chegada do Irma provocou o deslocamento mais de um milhão de pessoas, principalmente nas províncias de Holguín, Tunas, Camagüey, Sancti Spíritus e Granma, segundo dados da Defesa Civil. Nas zonas turísticas da costa norte, mais de 10.000 turistas estrangeiros e outros milhares de cubanos foram evacuados para locais seguros, de acordo com o Ministério do Turismo.

O momento mais perigoso para Cuba, segundo o general Ramón Pardo Guerra, chefe da Defesa Civil, será na tarde de sábado, quando Irma virar para o norte, em direção à península da Flórida. Esse será o momento em que o furacão estará mais perto da costa cubana e com menor velocidade de deslocamento, de modo que seus efeitos serão mais devastadores.

Evacuação em massa

Na Flórida, onde meteorologistas alertam que a tempestade pode elevar em até oito metros os níveis normais do mar, mais de meio milhão de pessoas serão evacuadas provocando um êxodo em massa que é dificultado por engarrafamentos e falta de combustível.

Nesta sexta-feira, Miami Beach estava deserta e as vitrines das lojas, vedadas com tapumes. Carros de polícia circulavam pelas vias costeiras de West Palm Beach, repetindo a mensagem: "Atenção, atenção, esta é uma zona de evacuação obrigatória. Por favor, saiam".

Na vizinha Geórgia, o governador Nathan Deal também determinou a evacuação da cidade de Savannah, com uma população de cerca de 150 mil pessoas, e de outras zonas costeiras. De acordo com o Centro Nacional de Furacões, com base em Miami, Irma deve atingir as ilhas Florida Keys na noite de sábado, antes de avançar pelo continente.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.